PUBLICIDADE

Operação em Paraisópolis já tem oito presos

Por AE
Atualização:

Chega a oito o número de pessoas presas na operação realizada pela Polícia Militar para combater o tráfico e a criminalidade na favela de Paraisópolis, na zona sul de São Paulo. Os suspeitos foram detidos entre a madrugada de segunda-feira, quando começou a ação na comunidade, até as 3h desta terça-feira, de acordo com balanço divulgado pela Secretaria de Segurança Pública de São Paulo. Entre os materiais apreendidos pela polícia estão cinco armas de fogo, 137 munições, 10 quilos de cocaína, 125 quilos de maconha e 50 unidades de drogas sintéticas. A ação da PM na favela conta com efetivo de 500 homens da Tropa de Choque do 16º Batalhão e deve se estender por cerca um mês. Um total de 100 carros, dois caminhões, 28 motos, oito cães, 60 cavalos e um helicóptero foram empregados no cerco à favela, que na segunda-feira tinha 12 pontos com bloqueios.De acordo com o Secretário de Segurança Pública Antonio Ferreira Pinto, Paraisópolis foi o local de onde partiram algumas ordens para a execução de policiais militares no Estado, na guerra não declarada entre membros do Primeiro Comando da Capital (PCC) e a polícia. Na segunda-feira foi preso na comunidade Edson Ferreira dos Santos, de 31 anos, o Nenê, apontado pela polícia como membro da facção - ele seria o responsável por fazer os "julgamentos" na comunidade, função conhecida como "disciplina".(Felipe Tau, estadão. com.br/11h59)

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.