PUBLICIDADE

Polícia européia descobre rede de pornografia infantil

Quadrilha seria uma das maiores do mundo; mais de 90 pessoas já foram presas.

Por BBC Brasil
Atualização:

A Europol, agência policial da União Européia, anunciou nesta segunda-feira ter descoberto uma das maiores redes de pornografia infantil do mundo. Mais de 90 pessoas foram presas em cerca de 30 países, da Austrália à Ucrânia. A polícia afirma que o número de detenções deve aumentar nos próximos dias. Na Grã-Bretanha, mais de 40 pessoas já foram presas. Até agora, 23 crianças com idades entre 9 e 16 anos foram identificadas em vídeos gravados pela quadrilha. Entre os detidos estão pessoas que atuavam em cargos de confiança, como professores. A investigação, batizada de Operação Coala, teve início em julho de 2006, quando a polícia australiana descobriu um vídeo em que duas garotas, de 9 e 16 anos de idade, eram estupradas. As duas meninas foram identificadas pela polícia belga e o pai delas, preso. O homem levou os investigadores até o produtor do vídeo, o italiano Sergio Marzola, de 42 anos, que operava na Holanda e na Bélgica, além de ser proprietário de um estúdio na Ucrânia, onde a maior parte dos vídeos eram gravados. Os nomes de 2,5 mil clientes da rede de prostituição infantil foram encontrados no computador de Marzola. De acordo com a polícia, os clientes podiam decidir que atos específicos deveriam ser praticados pelas garotas (que recebiam pequenas quantidades de dinheiro) e chegavam a enviar peças de lingerie para que elas usassem. Os clientes também podiam sugerir posições e alguns viajavam para assistir às gravações dos vídeos. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.