PUBLICIDADE

Presos seis seguranças acusados de roubo e tortura em PE

Segundo a polícia, agressores alegam ter confudido vítima com um ladrão que atuava na região onde trabalhavam

Por Mônica Bernardes e de O Estado de S.Paulo
Atualização:

Seis seguranças particulares que prestavam serviços aos comerciantes da Feira da Sulanca, no município de Caruaru, no agreste pernambucano- uma das maiores feiras de artesanato e artigos populares do País - foram presos, na tarde da última terça-feira, 25, acusados de torturar e roubar o tatuador José Maurício Fernandes, 26 anos.   De acordo com informações de policiais da delegacia de Polícia Civil do município, os acusados alegam ter confundido o tatuador com um ladrão, que vinha atuando na área nas últimas semanas. Indignado com a atitude dos seguranças, a vítima procurou a Polícia de denunciou o caso. Testemunhas garantem que os acusados teriam ficado com a carteira e o celular de José Maurício.   O delegado Rômulo Holanda, que acompanha o caso, afirmou que durante a prisão foram apreendidos munições, cinco celulares e um par de algemas. "Já ouvimos algumas testemunhas que afirmam que o grupo chegou a gravar as agressões à vítima com o auxílio de um dos celulares. Enviamos o material para perícia técnica e estamos aguardando os laudos", afirmou.   Os seguranças presos foram identificados como Lucimaque Alves Bezerra, de 23 anos; Marcos Antônio Rodrigues, de 38; Cícero Luiz Inácio de Lima, de 28; Edlaíldo Ferreira Félix, de 28; Luciel Alves Bezerra, de 24; e Celso Ricardo Santos, de 30. O grupo foi autuado pelos crimes de formação de quadrilha, tortura e roubo, e em seguida encaminhado ao Presídio Municipal de Caruaru.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.