PUBLICIDADE

Rodovias lotam no feriado de 7 de Setembro; veja o melhor horário para pegar estrada

Com previsão de temperatura mais alta nos próximos dias, ao menos 6,5 milhões de veículos vão passar pelas principais rodovias do Estado

Foto do author José Maria Tomazela
Por José Maria Tomazela

Ao menos 6,5 milhões de carros vão encher as principais rodovias que saem de São Paulo para o interior, o litoral e outros Estados no feriado prolongado da Independência. Para uma viagem sem estresse, é preciso evitar os horários de pico.

PUBLICIDADE

A previsão é de trânsito mais carregado e risco de congestionamentos entre às 16 e 22 horas desta quarta-feira, 6, e toda a manhã de quinta, 7. Na volta, domingo, 10, o fluxo intenso começa às 9 e vai até as 23 horas.

As rodovias sob concessão devem receber 2,8 milhões de veículos, segundo a Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp). As estaduais administradas pelo Departamento de Estradas de Rodagem (DER) têm previsão de 1,1 milhão de carros. Outros 2,6 milhões seguem pelas rodovias federais que ligam a capital paulista a Estados vizinhos: Dutra, Fernão Dias e Régis Bittencourt.

Devem passar pelo Sistema Castello-Raposo mais de 680 mil veículos durante o feriado prolongado de 7 de setembro Foto: TABA BENEDICTO/ESTADÃO

Com a previsão de temperatura mais alta nos próximos dias – chega a 31ºC no sábado, 9, na Baixada Santista – muita gente vai passar o feriadão no litoral. Pelo Sistema Anchieta-Imigrantes, principal acesso à região, 410 mil veículos devem descer a serra em direção às praias.

A Rodovia dos Tamoios deve receber 203 mil veículos com destino às praias do litoral norte. Conforme a concessionária, sem previsão de chuvas intensas, as duas pistas devem operar normalmente.

No último fim de semana, a pista de descida ficou fora de operação devido ao excesso de chuvas e o risco de deslizamentos. Durante 24 horas, foi preciso fazer operação pare e siga na pista nova. Pela Padre Manoel da Nóbrega, que atende o litoral sul, passam 260 mil carros.

Usado como acesso à região da Mantiqueira, incluindo Campos do Jordão, que ainda recebe turistas de inverno, o Corredor Ayrton Senna-Carvalho Pinto deve escoar 610 mil veículos. Atendendo às regiões de Campinas e Ribeirão Preto, no interior, o Sistema Anhanguera-Bandeirantes tem previsão de 917 mil veículos. Já pelo Sistema Castello-Raposo, opção para o sudoeste paulista, passam 680 mil carros.

Publicidade

Entre as rodovias federais, o maior volume de trânsito – 1,2 milhão de veículos – é esperado na Fernão Dias, que liga São Paulo ao sul de Minas Gerais e à capital, Belo Horizonte (MG). É também o acesso às cidades históricas de São João del Rey, Tiradentes e Ouro Preto, que recebe muitos turistas nesta época. A Dutra, que liga a capital paulista ao Rio de Janeiro, recebe 570 mil carros.

Pela Régis Bittencourt, ligação entre São Paulo e Curitiba (PR), os motoristas devem ficar atentos nos trechos de serra, entre o km 336 (Juquitiba) e o km 370 (Miracatu), e do km 498 (Cajati) ao 524 (Barra do Turvo).

Cuidados nas estradas

O Departamento Estadual de Trânsito (Detran) de São Paulo alertou os motociclistas que vão pegar estrada para a necessidade de manter a viseira do capacete acionada durante as viagens. Conforme o órgão, muitos condutores têm sido flagrados com o acessório levantado ou removido alegando o excesso de calor. A viseira protege contra pedras e insetos que podem atingir o olho do motociclista.

Também lembrou que muitos motoristas, sobretudo em viagens para o litoral, usam chinelos ou sandálias, causando risco de acidentes. “Esses calçados não se firmam nos pés e comprometem a utilização dos pedais, o que pode gerar multa. Nessa situação, o melhor é dirigir descalço”, orientou.