PUBLICIDADE

Secretário-Geral da ONU chega domingo ao Brasil

Por Renata Veríssimo
Atualização:

O secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, chega ao Brasil no domingo para a sua primeira visita ao País. Na pauta de discussões estão os esforços brasileiros para reduzir o desmatamento e a reforma das Nações Unidas. Já no domingo, Ki-moon visitará uma usina de etanol em Jaboticabal (SP). O Brasil quer mostrar como o uso dos biocombustíveis pode reduzir as emissões de gases de efeito estufa. Na segunda-feira, o secretário-geral da ONU será recebido, em Brasília, pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que oferecerá um almoço no Itamaraty em sua homenagem. O Chefe do Departamento de Organismos Internacionais do Ministério das Relações Exteriores, ministro Carlos Duarte, afirmou que a reforma da ONU é um tema importante para o Brasil. Segundo ele, Ki-moon pode estimular o debate entre os países. O Brasil também continuará defendendo a ampliação do Conselho de Segurança das Nações Unidas. Na segunda-feira à tarde, Ki-moon embarcará para o Pará. A agenda em Belém ainda não está fechada, segundo o Itamaraty. Mas a idéia, explicou o chefe do Departamento de Meio Ambiente, ministro Luiz Alberto Figueiredo, é mostrar ao secretário-geral da ONU os avanços recentes do governo brasileiro no combate ao desflorestamento e na promoção do manejo florestal sustentável na região Amazônica. "Para nós é importante ter o engajamento do secretário-geral da ONU em torno desse debate", disse Figueiredo. Ele explicou que alguns estudos mostram que a região amazônica é vulnerável aos efeitos da mudança de clima e que algumas áreas estão se tornando savanas. Figueiredo lembrou que o Brasil também já lançou a proposta de criar um mecanismo de compensação financeira para os países que diminuírem as emissões por meio da redução do desmatamento. Estes países receberiam recursos, de uma espécie de fundo criado com contribuições de países industrializados, para aprofundarem as medidas internas de combate ao desmatamento. Ki-Moon voltará para Nova York na terça-feira.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.