PUBLICIDADE

Servidores do ensino de Ibiúna-SP entram em greve

Foto do author José Maria Tomazela
Por José Maria Tomazela
Atualização:

Professores, diretores e outros funcionários públicos municipais da educação estão em greve desde esta terça-feira (16), em Ibiúna, na região de Sorocaba (SP), em protesto contra o atraso no pagamento de salários. Eles deveriam ter recebido há dez dias, mas até esta quarta-feira não tinham sido pagos.A paralisação afeta, parcialmente, as 64 escolas do município, num total de 7,6 mil alunos. Os repasses do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) teriam sido suspensos por falta de prestação de contas. A prefeitura informou que os pagamentos serão feitos até esta sexta-feira (19).A administração municipal, em crise financeira, enfrenta ameaça de greve também no hospital municipal, mas alega que as remunerações dos funcionários públicos da saúde estão em dia. Em setembro, com os pagamentos em atraso, uma empresa contratada pelo Poder Executivo municipal para os serviços de lavanderia do hospital retirou lençóis, fronhas e cobertores que eram usados pelos pacientes. Os doentes ficaram descobertos até que o Executivo municipal providenciasse nova roupa de cama. Também houve dificuldade na distribuição de mochilas para os estudantes. As peças fornecidas pelo governo de São Paulo vieram com o brasão da prefeitura costurado sobre o logotipo da administração estadual. A empresa fornecedora alegou erro na confecção.

Tudo Sobre
Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.