PUBLICIDADE

Vídeo: Silvio Almeida se recusa a receber de Girão e Damares réplicas de feto em sessão no Senado

Tentativa frustrada de entregar boneco partiu de senador do Novo; postura do ministro dos Direitos Humanos foi elogiada pela primeira-dama e por demais parlamentares presentes

Foto do author João Ker
Por João Ker
Atualização:

O ministro dos Direitos Humanos e da Cidadania, Silvio Almeida, foi aplaudido de pé durante uma sessão no Senado Federal na manhã desta quinta-feira, 27, quando se recusou a receber dos senadores Eduardo Girão (Novo-CE) e Damares Alves (Republicanos-DF) a suposta réplica de um feto.

“Não quero receber isso, por um motivo muito simples. Eu vou ser pai agora e sei muito bem o que significa isso. Isso, pra mim, é uma performance que eu repudio profundamente”, disse o ministro, enquanto Girão se aproximava com o boneco em mãos. “Isso, com todo o respeito, é uma exploração inaceitável de um problema muito sério no País.”

Assista ao momento abaixo.

PUBLICIDADE

“Em nome da minha filha que vai nascer, eu me recuso a receber isso”, completou Almeida, batendo na mesa. Nesse momento, as pessoas presentes na sessão levantaram para aplaudir o ministro, que completou dirigindo-se a Girão: “Senador, com todo o respeito, respeitando o seu cargo, eu não vou aceitar esse tipo de coisa. Eu sou um homem sério, e acredito que o senhor também seja. Esse tipo de performance aqui não é o que condiz com a minha maneira de ver a política.”

O embate entre Almeida e Girão ocorreu durante a sessão em que o ministro apresentava à Comissão de Direitos Humanos do Senado as prioridades da pasta para os próximos anos. “Já que a gente entrou na questão da dignidade humana, vou materializar a entrega dessa ‘criança’ com 11 semanas de gestão”, disse o senador, antes de se levantar da cadeira.

O ministro dos Direitos Humanos e da Cidadania, Silvio Almeida Foto: Márcio Fernandes / Estadão

Momentos antes, a senadora Damares Alves disse que havia levado um “presentinho” para o ministro: “A gente vai entregar para o senhor, com muito carinho, porque às vezes as pessoas não entendem o que a gente está fazendo. Não estamos querendo apenas que a criança viva tenha direitos garantidos, mas também a criança por nascer. Eu vou deixar com o senhor um bebezinho de 12 semanas, se o senhor puder levar com carinho, ministro, e a gente entender que é isso que a gente queria fazer”.

Após a fala de Almeida, Girão pediu desculpas ao ministro pelo episódio: “Isso não é brincadeira, isso é seriedade. Eu só quero fazer um contraponto muito respeitoso ao ministro, dizendo que não foi brincadeira, isso é algo seríssimo. Eu deixei na mesa desta comissão, entreguei a ministros do Supremo, entreguei a alguns outros ministros que receberam e eu respeito que o senhor não quis receber”.

Publicidade

Nas redes sociais, a primeira-dama Janja Lula da Silva apoiou a fala do ministro durante a sessão e escreveu: “Você é gigante, eles são um nada, a mais fiel representação da mediocridade. Sinta meu abraço fraterno”.

O ministro Flávio Dino, da Justiça e da Segurança Pública, também comentou a sessão em suas redes, criticando a forma como o aborto foi tratado pelo senador Girão: “A direita brasileira não consegue, no atual momento, produzir líderes sérios, que façam o debate político com conteúdo e decoro? Por que tanta baixaria, mentiras, agressões, performances de mau gosto?”, questionou.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.