PUBLICIDADE

STF aprova extradição de Abadía para os EUA

Por Felipe Recondo
Atualização:

O Supremo Tribunal Federal (STF) aprovou, por unanimidade, pedido de extradição do megatraficante colombiano Juan Carlos Ramírez Abadía para os Estados Unidos, onde ele responde a processo por lavagem de dinheiro, conspiração para o tráfico internacional de cocaína e homicídio. A decisão do STF não é definitiva, pois caberá ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva dar a palavra final sobre o assunto. O STF, ao conceder a extradição, impôs a condição prevista na Constituição do Brasil de que uma eventual prisão perpétua ou pena de morte contra ele nos EUA seja transformada em prisão por 30 anos, pena máxima prevista na lei brasileira. Abadía foi preso em agosto do ano passado, em São Paulo, pela Polícia Federal. Ele é suspeito de mandar matar 15 pessoas nos Estados Unidos e trezentas na Colômbia. A fortuna do colombiano é estimada em R$ 3,4 bilhões. Abadía havia proposto à Justiça brasileira um acordo pelo qual pagaria às autoridades de US$ 30 milhões e US$ 40 milhões e seria extraditado para os Estados Unidos. A proposta foi rejeitada, mas o STF decidiu hoje extraditá-lo atendendo a um pedido da Justiça dos EUA. A decisão final sobre a extradição caberá ao presidente Lula, pelo fato de Abadía estar sendo processado também no Brasil - por lavagem de dinheiro, formação de quadrilha, uso de documentos falsos e corrupção.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.