PUBLICIDADE

TJ não libera prêmio da Mega Sena disputado em SC

PUBLICIDADE

Por Fabiana Marchezi

O desembargador substituto Jaime Luiz Vicari, do Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJ-SC), negou recurso que pedia a liberação do dinheiro do prêmio da Mega Sena. A ação foi movida pelo empresário Altamir José da Igreja, de 52 anos, que disputa o prêmio de R$ 27,7 milhões com o marceneiro Flávio Júnior Biass, de 21 anos. De acordo com o TJ-SC, o prêmio está bloqueado desde o dia 5 de setembro, quando o Fórum da 2ª Vara Cível da cidade de Joaçaba acatou liminar em que o marceneiro, ex-empregado do empresário, pediu o bloqueio do prêmio do concurso 898 da loteria. O marceneiro diz que tem direito ao dinheiro por ter dado o palpite vencedor do concurso para o empresário apostar. No recurso movido para a liberação do dinheiro, o empresário alegou que o dono do prêmio é o portador do bilhete, que fora sozinho à lotérica efetuar a aposta. Ele afirmou que havia prometido a Biass que lhe daria uma moto, se ganhasse o prêmio e que o próprio Biass disse à imprensa que quer metade do prêmio. Portanto, alegou, quase R$ 14 milhões poderiam ser liberados. Porém, em sua decisão, o desembargador Vicari recusou o pedido.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.