Foto do(a) blog

Diversidade e Inclusão

Vencer Limites na Rádio Eldorado - 30

A coluna Vencer Limites na Rádio Eldorado FM (107,3) vai ao ar toda terça-feira, às 7h20, ao vivo, no Jornal Eldorado.

PUBLICIDADE

Foto do author Luiz Alexandre Souza Ventura
Por Luiz Alexandre Souza Ventura
Atualização:

 


Tudo gira em torno das superações, dos anjos azuis e das ações superficiais, que 'bombam' nas redes sociais, como se fossem novidades, mas quase sempre significam retrocesso e redução de direitos.

PUBLICIDADE

Nas últimas semanas tivemos o Dia Mundial da Síndrome de Down, 21 de março, tivemos a posse dos selecionados para compor o Conselho Nacional dos Direitos das Pessoas com Deficiência (Conade), em 31 de março, e tivemos o Dia Internacional de Conscientização sobre o Autismo, 2 de abril.

É claro que tudo isso é muito importante, mas a maneira como essas situações são apresentadas e absorvidas reforça estigmas e estereótipos porque são discuros vazios e imagens montadas, sem observação crítica. E o que é prejudicial às pessoas com deficiência fica limitada a um ou outro perfil, a um ou outro post, a uma ou outra reportagem.

No caso do Conade, há uma acusação direta de aparelhamento, da escolha de pessoas e instituições totalmente alinhadas aos interesses do governo e, por consequência, beneficiadas por esse alinhamento. Ninguém deu muita importância a essa acusação e o que nós veremos a seguir serão as decisões desse conselho e como essas decisões vão ajudar a moldar as políticas públicas para as pessoas com deficiência no Brasil.

As eleições desse ano estão provocando uma sequência de exonerações e mudanças no governo federal. Na semana passada, Damares Alves deixou o comando do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, e assumiu o cargo Cristiane Rodrigues Britto. Na cerimônia de posse, a nova ministra disse que vai "dar continuidade ao legado de inclusão", segundo ela, deixado por Damares.

Publicidade

Em 21 de janeiro de 2019, eu publiquei uma entrevista com a recém ministra Damares, e essa entrevista foi totalmente centralizada nas ações para a população com deficiência. Damares Alves garantiu que a regulamentação da Lei Brasileira de Inclusão como um todo era uma das prioridades do governo.

Hoje, três anos depois, com Damares exonerada, não chegamos nem perto disso. A LBI tem 127 artigos e menos de 20 foram regulamentados, quase todos com base em decretos dos governos Dilma e Temer.

Nas celebrações sobre os dias da Síndrome de Down e da Conscientização sobre o Autismo ainda prevalece o discurso da superação, um estereótipo que nos transforma em personagem de ficção.

Nós precisamos de discussões mais abrangentes e mais profundas, porque enquanto a maioria está interessada em vídeos com dancinhas ou com cachorrinhos em cadeiras de rodas, tem uma estrutura poderosa construíndo barreiras às pessoas com deficiência e, quando isso bater na nossa porta, vai ser muito difícil ou impossível derrubar.

Por isso, não fiquem surpresos se os acessos, por exemplo, ao Benefício de Prestação Continuada, ao Auxílio-Inclusão e às isenções para comprar carro novo se tornarem cada vez mais difíceis e restritos. Não fiquem supresos se a inclusão das pessoas com deficiência no mercado de trabalho continuar limitada às vagas de baixa qualidade e pouca remuneração. E se a política de educação do governo, que segrega alunos com deficiência, avançar.

Publicidade



O livro 'Imperfeitos: Um relato íntimo de como a inclusão e a diversidade podem transformar vidas e impactar o mercado de trabalho' (março/2022, editora Maquinaria Sankto) foi escrito por Julie Goldchmit, uma jovem de 25 anos que teve somente aos 15 a confirmação de que é autista.

PUBLICIDADE

E, antes desse diagnóstico tardio, Julie enfrentou problemas na escola, dificuldades de aprendizado, exclusão e bullying. Depois, a falta de vagas de trabalho e assédios constantes.

Um detalhe bacana é que a impressão tem base em conceitos de acessibilidade que, muitas vezes, não são percebidos por leitores, como o uso de letras grandes, fonte é serifada, que facilita a leitura contínua, textos justificados, com o mesmo padrão do início ao fim do livro, tudo em preto e o branco e não há palavras em itálico.

Tem um QR CODE que direciona para a página da editora com trecho do livro, fotos e uma entrevista com a autora.


Publicidade

'Imperfeitos: Um relato íntimo de como a inclusão e a diversidade podem transformar vidas e impactar o mercado de trabalho' (março/2022, editora Maquinaria Sankto) foi escrito por Julie Goldchmit. Foto: Reprodução.


Tudo Sobre
Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.