PUBLICIDADE

Vendas no varejo brasileiro desaceleram e sobem 0,3% em novembro--IBGE

Foto do author Redação
Por Redação
Atualização:

As vendas no comércio varejista brasileiro perderam fôlego em novembro, num sinal de que a recuperação da atividade econômica ainda continuava difícil no final de 2012, ao avançarem 0,3 por cento ante outubro, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta terça-feira. Esse foi o sexto mês seguido de expansão das vendas, mas mostrou desaceleração, uma vez que em outubro a alta mensal havia sido de 0,8 por cento. Sobre um ano antes, as vendas registraram alta de 8,4 por cento em novembro, também mostrando menos tração do que no mês anterior, quando a expansão ficou em 9,2 por cento, segundo dado revisado agora. Os resultados ficaram em linha ao esperado pelo mercado. Analistas ouvidos pela Reuters previam que haveria expansão mensal de 0,2 por cento e, sobre o mesmo mês do ano anterior, de 8,3 por cento. Sobre outubro, as projeções variaram de alta de 0,7 por cento a queda de 0,7 por cento, enquanto que sobre novembro de 2011, de alta de 5,2 a 9,1 por cento. Segundo o IBGE, cinco das oito atividades que compõem o índice registraram crescimento sobre o mês anterior, com destaque para Outros artigos de uso pessoal e doméstico (alta de 4,2 por cento, ante 3,9 por cento vista em outubro) e Tecidos, vestuário e calçados (2,1 por cento, frente queda de 2,1 por cento). O grupo Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo registrou alta mensal de 0,6 por cento em novembro, ante 0,4 por cento em outubro. Na ponta oposta, o destaque ficou para o grupo Equipamentos e materias para escritório, informática e comunicação, com queda de 11,4 por cento, ante alta de 18,8 por cento em outubro. Na comparação anual, ainda segundo o IBGE, sete das oito atividades registraram expansão, com destaque para Outros artigos de uso pessoal e doméstico (18,2 por cento). Em relação às vendas do comércio varejista ampliado --que inclui o setor automotivo e material de construção --o IBGE informou que houve queda de 1,2 por cento por cento em novembro ante outubro, depois de avançar 5 por cento no período anterior. Na comparação anual, a alta em novembro ficou em 7,2 por cento. Neste caso, o destaque foi o segmento de Veículos e motos, partes e peças, com queda mensal de 5 por cento. As vendas de carros recuaram 8,7 por cento em novembro, segundo dados da Anfavea, após consumidores adiantaram compras para outubro, de olho no fim das desonerações. Em meio a uma persistente desaceleração no ritmo de crescimento de vendas, as principais varejistas brasileiras devem manter a aposta em planos de expansão orgânica agressivos para 2013, apesar de algumas não terem cumprido as metas traçadas no último ano. (Por Rodrigo Viga Gaier e Diogo Ferreira Gomes; Texto de Patrícia Duarte; Edição de Camila Moreira)

Tudo Sobre
Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.