Júpiter passa Saturno e vira o planeta com mais luas do sistema solar

A marca de 92 luas foi confirmada pelo Centro de Planetas Menores.

PUBLICIDADE

Por Stéphanie Araujo
Atualização:

Júpiter é o maior planeta do sistema solar e agora também é aquele com mais luas orbitando ao seu redor: são 92 luas, ultrapassando Saturno, que antes se mantinha em primeiro, com 83 luas. Isso ocorreu após cientistas americanos descobrirem 12 novos satélites naturais em volta do gigante gasoso.

Doze novas luas foram descobertas orbitando ao redor de Júpiter, o que o torno o planeta com maior número de luas ao seu redor, Foto: Telescópio James Webb/Nasa

PUBLICIDADE

O registro foi oficializado na listagem do Centro de Planetas Menores (MPC), organização que observa pequenos objetos do Sistema Solar e pertence à União Astronômica Internacional (IAU). As descobertas foram feitas por uma equipe, sob a liderança do astrônomo Scott Sheppard, do Departamento de Magnetismo Terrestre, da Carnegie Institution, e ocorreram entre 2021 e 2022.

As observações foram feitas por meio dos telescópios Subaru no Havaí em 2021 e da Dark Energy Camera localizada no telescópio Blanco no Observatório Interamericano Cerro Tololo no Chile em 2022.

Todas luas encontradas são pequenas, apenas cinco delas têm mais de 8 km, e também são distantes. Algumas levam mais de 340 dias para orbitar Júpiter, e nove dessas 12 estão dentre as 71 luas ultraperiféricas do planeta, ou seja, tem órbitas que levam mais de 550 dias.

O cientista já havia feito outras descobertas, como de uma série de luas ao redor de Saturno há alguns anos e também esteve participante em outras 70 descobertas lunares de Júpiter.

As luas dos dois planetas, também de Urano e Netuno, são pequenas, e acredita-se que sejam fragmentos de outras luas maiores que colidiram entre si, com cometas ou asteroides. Até o momento, Urano tem 27 luas confirmadas, enquanto Netuno tem 14, Marte dois e a Terra, somente uma. Vênus e Mercúrio não têm nenhuma.

As luas recém-descobertas de Júpiter ainda não foram nomeadas. De acordo com Sheppard, boa parte delas são muito pequenas para serem nomeadas pela União Astronômica Internacional, o tamanho mínimo é de 1,5 km ou mais.

Publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.