Sebastião Salgado: Veja fotos marcantes da carreira do artista que anunciou aposentadoria

Ao se despedir do campo após décadas capturando a humanidade e a natureza em preto e branco, o brasileiro deixa um legado de imagens que narram histórias de luta, beleza e sobrevivência

PUBLICIDADE

Por Larissa Godoy
Atualização:

Aos 80 anos, Sebastião Salgado, o fotógrafo brasileiro cujas imagens em preto e branco capturaram a essência da condição humana e das maravilhas naturais do mundo, anunciou sua aposentadoria do trabalho de campo.

Fotógrafo. Foram 33 dias registrando em preto e branco, na época que privilegiava a cor. Foto:TiagoQueiroz/Estadão Foto:

Renomado por sua abordagem documental profunda, Salgado nos ofereceu visões únicas da vida, do trabalho e das batalhas contra adversidades ao redor do mundo. Seu legado, caracterizado por projetos de beleza e significado excepcionais, deixa uma marca na história da fotografia. Suas fotografias, exibidas internacionalmente, também estão presentes em diversos livros publicados pelo fotógrafo, enriquecendo ainda mais seu vasto e impressionante portfólio.

Relembre assim algumas de suas fotos mais marcantes:

No projeto Trabalhadores (1993), o fotógrafo destaca a vida dos trabalhadores manuais ao redor do mundo. As imagens capturadas nas minas de ouro de Serra Pelada, por exemplo, oferecem uma visão crua e emocionante do esforço humano sob condições extremas.

Sebastião Salgado, em 1986, captura a exaustiva jornada dos mineiros de Serra Pelada, Brasil, em meio à lama e suor, evidenciando o árduo labor sob pesos extremos e a diversidade racial, sem revelar seus rostos. Imagem do livro 'Gold - Mina de Ouro Serra Pelada', de Sebastião Salgado Foto: Sebastiao Salgado

Já em Êxodos (1997), Salgado direciona sua lente para as migrações forçadas por conflitos, desastres e pobreza. As fotografias dos refugiados de Ruanda e dos moradores de favelas e campos de refugiados mostram a realidade de vidas deslocadas, evocando um senso de empatia e urgência para com as questões globais de deslocamento e desintegração social.

Refugiados do enclave bósnio de Bihac ocupam casas destruídas em Turanj, Krajina, território croata ocupado pelos sérvios em 1994. Imagem do livro 'Êxodos' Foto: Sebastião Salgado

No projeto Gênesis (2013), Salgado celebra a majestade da natureza intocada, das tribos remotas da Amazônia às paisagens geladas da Antártica.

Igarapé Pretão, na terra indígena Suruwahá, do Estado do Amazonas, 2017.  Foto: Sebastião Salgado
Sebastião Salgado, Parque Nacional Kafue, Zâmbia. Capturada em 2010, esta imagem faz parte do livro 'Gênesis' de Salgado Foto: Sebastião Salgado

Imagens da travessia dos Nenets na Sibéria, integrantes do projeto Gênesis, revelam a magnífica odisséia deste povo nômade. Acompanhados por seus rebanhos de renas, eles percorrem vastidões geladas sob condições rigorosas, uma demonstração eloquente de resistência e tradição em meio ao extremo do Ártico.

Publicidade

Entre as muitas imagens icônicas de Salgado, a fotografia da mina de ouro de Serra Pelada ocupa um lugar especial. Capturando a essência do esforço coletivo em condições adversas, essa imagem simboliza a luta, a esperança e a resiliência humana.

The Gold Mine (1986). 'A Mina de Ouro', De Sebastião Salgado, é uma fotografia dos trabalhadores de Serra Pelada. Está em exposição no Tate Museum, em Londres, Inglaterra. Foto: Foto: reprodução Tate Museum
Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.