Quadro de Caravaggio confundido e quase vendido por valor irrisório será exposto; conheça a história

Obra havia sido atribuída a outro artista, mas a semelhança com pinturas do mestre italiano alertou especialistas de museu espanhol

Foto do author Gabriela Caputo
Por Gabriela Caputo

O Museu do Prado, de Madri, na Espanha, exibirá Ecce Homo, a obra perdida de Caravaggio, até 2021 atribuída a outro pintor.

A tela em questão foi posta à venda em uma casa de leilões de Madri em 2021, por 1.500 euros (cerca de R$ 8 mil, na cotação atual), alertando especialistas da Espanha e Itália. As suspeitas de que aquela, na verdade, poderia ser uma obra do mestre italiano levaram o Ministério da Cultura espanhol a proibir a venda na última hora. O governo de Madri também concedeu à pintura o status de patrimônio protegido, barrando sua exportação.

'Ecce Homo', de Caravaggio: Agora restaurada e verificada, obra será exibida no Museu do Prado, em Madrid, Espanha. Foto: Museu do Prado

PUBLICIDADE

A pintura a óleo de Cristo com a coroa de espinhos, criada por volta de 1605 e 1609, integra uma lista de apenas 60 obras atribuídas ao italiano. Anteriormente, acreditava-se que a figura pertencia a algum artista desconhecido que fora aluno de José de Ribera, espanhol conhecido por suas telas religiosas na primeira metade do século 17.

Após uma análise minuciosa conduzida por vários especialistas, o Museu do Prado emitiu um relatório com “provas documentais e estilísticas suficientes” para concluir que Ecce Homo pertence a Caravaggio. O feito “representou uma das maiores descobertas da história da arte, alcançando um consenso sem precedentes quanto à sua autenticação”, afirma a instituição.

Conforme anunciado na segunda-feira, 6, o atual proprietário da obra concedeu um empréstimo temporário ao museu espanhol. A pintura foi restaurada e estará exposta por nove meses, de 28 de maio a outubro. A identidade do proprietário não foi revelada. Sabe-se que ele comprou a obra da coleção particular de uma família, que a tinha em mãos desde o século 19. Antes disso, a tela pertenceu ao rei Filipe IV da Espanha.

O Museu do Prado é dono de outra produção de Caravaggio, Davi com a Cabeça de Golias.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.