PUBLICIDADE

Diretor de rádio fala sobre corte de palavrões em músicas sertanejas: ‘Me imagino como uma mãe’

Marcelo Siqueira, da Nativa FM, diz que expressões não podem ser usadas sem contexto em uma música

Foto do author Redação
Por Redação
Atualização:

Em entrevista ao jornalista André Piunti, Marcelo Siqueira, diretor artístico da Rádio Nativa FM, falou sobre o uso cada vez mais frequente de palavrões em canções do sertanejo pop. Segundo ele, é preciso analisar cada caso e, se necessário, retirar o trecho para que a canção possa tocar na rádio.

“Se a expressão ganha do palavrão, é válida”, disse, citando como exemplo músicas da dupla Maiara & Maraisa.

“Elas precisavam daquela palavra para expressar o que é o cara. Isso é uma coisa válida. Agora, se é uma palavrão pornográfico ou se é um palavrão só para rimar...É desnecessário. Eu acho que o palavrão que vale tem que estar acompanhado da emoção”, disse.

A dupla Maiara e Maraisa Foto: Alex Silva/Estadão

PUBLICIDADE

Siqueira cita ainda o exemplo de músicas gravadas pela dupla Henrique & Juliano, e afirma que algumas passam (sem censura), outras não. O diretor falou sobre qual seu critério para decidir o que vai ou não ao ar na rádio.

“Eu sou muito careta com essa história de palavrão porque eu me imagino como uma mãe com os filhos no carro, conversadora, e o rádio falando palavrão, o rádio falando de assuntos que para mim são desconfortáveis para os meus filhos pequenos ouvirem”.

Siqueira termina dizendo que, por conta de sua avaliação, muitas pessoas o chamam de conservador e dizem que ele tem excesso de cuidado.

Em apresentação no programa Faustão na Band, no ano passado, a dupla Henrique & Juliano evitou cantar os palavrões que fazem parte das músicas Liberdade Provisória, Arranhão e A Maior Saudade.

Publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.