PUBLICIDADE

O triunfo de Jon Batiste no Grammy: 'A música é uma prática espiritual'

O jazzista foi o grande vencedor do Grammy em noite que contou com discurso de Zelenski e homenagem a Taylor Hawkins e Marília Mendonça

Por Paula Ramon
Atualização:

Jon Batiste, o talentoso jazzista de Nova Orleans, foi o grande vencedor do Grammy 2022, que aconteceu no domingo, 3, em Las Vegas e abriu espaço para um discurso do presidente ucraniano, Volodmir Zelenski, que falou sobre o silêncio provocado pela guerra e o poder da música. 

Jon Batiste durante apresentação de sua música 'Freedom', no Grammy 2022 Foto: Mario Anzuoni/Reuters

Batiste, 35 anos, venceu em cinco categorias, incluindo melhor álbum do ano pelo aclamado We Are.

"Eu amo a música. Eu toco desde que era criança. A música é mais que entretenimento para mim, é uma prática espiritual", disse ao receber o prêmio mais importante da noite. 

Apesar de ser o artista com mais indicações da noite, 11, Batiste disse que a vitória foi "surreal". "Eu realmente não faço pelos prêmios", declarou aos jornalistas. "Esta noite foi uma boa noite". 

O grupo Silk Sonic, o projeto paralelo de Bruno Mars e Anderson .Paak, surpreendeu ao vencer nas categorias de música e gravação do ano com Leave the Door Open

"A esta altura estamos nos esforçando para nos mantermos humildes", brincou .Paak ao receber o segundo prêmio. 

O duo superou nas duas categorias a sensação do pop Olivia Rodrigo, que poderia ter sido a terceira artista na história do Grammy a vencer as quatro principais categorias na mesma edição. 

Publicidade

A jovem de 19 anos venceu em três das sete categorias em que disputava, a mais importante delas a de artista revelação, na qual superou fortes concorrentes como Saweetie e Finneas, irmão de Billie Eilish. 

"Meu sonho virou realidade", disse a jovem.

Uma das favoritas, Olivia Rodrigo ganhou três prêmios Grammy Foto: Etienne Laurent/EFE

Eilish também estava indicada em sete categorias, mas não levou nenhum prêmio. A cantora cantou o single Happier Than Ever durante a cerimônia, com uma camisa em homenagem ao baterista do Foo Fighters, Taylor Hawkins, que morreu na semana passada aos 50 anos. 

Billie Eilish presta homenagem a Taylor Hawkins durante sua apresentação no Grammy 2022 Foto: Chris Pizzello/AP

Hawkins também foi homenageado no momento In Memoriam, que recordou as grandes figuras da música que morreram nos últimos 12 meses, incluindo a brasileira Marília Mendonça

O grupo Foo Fighters venceu em três categorias, todas anunciadas antes da cerimônia na MGM Grand Garden Arena de Las Vegas.

O discurso de Zelenski no Grammy 2022

Apesar da previsão de usar o alcance do Grammy para abordar a guerra na Ucrânia, a cerimônia surpreendeu ao exibir uma mensagem pré-gravada do presidente Volodmir Zelenski

Publicidade

"O que é mais contrário à música? O silêncio de cidades destruídas e pessoas assassinadas", disse o presidente de um país sob ataque da Rússia. 

"Nossos músicos usam coletes à prova de balas em vez de smokings. Eles cantam para os feridos nos hospitais, inclusive para aqueles que não podem ouvi-los. Mas a música chegará de qualquer maneira", acrescentou.

"Em nossa terra estamos lutando contra a Rússia, que traz um silêncio horrível com suas bombas. A morte silenciosa. Preencham o silêncio com sua música", afirmou Zelenski, antes de pedir: "Nos apoiem da forma que puderem, mas não com silêncio. E a paz virá".

O presidente ucraniano encerrou o discurso apresentando John Legend, que cantou a música Free.

 Humor e provocação

O Grammy, adiado de janeiro para abril devido à variante ômicron da covid-19, aconteceu uma semana depois do Oscar, evento em que o ator Will Smith deixou milhões de espectadores atônicos ao dar um tapa no humorista Chris Rock.

O incidente não foi ignorado na festa da música, que teve várias referências ao tapa, incluindo a entrada no palco do comediante Nate Bargatze com um capacete. "Disseram que os comediantes devem usar isto nas premiações", brincou. 

Publicidade

Sonic Silk, o colombiano J Balvin e a argentina María Becerra, Olivia Rodrigo, Lenny Kravitz e o rapper Lil Nas X também se apresentaram na festa. 

Lady Gaga emocionou o público: ela cantou após uma introdução de Tony Bennett, que se aposentou dos palcos após o diagnóstico de Alzheimer e enviou um vídeo pré-gravado. Love For Sale, a segunda colaboração da dupla de 36 e 95 anos, venceu em duas categorias. 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.