PUBLICIDADE

Documentário da Globoplay tem dublagem realizada por IA; veja impressões

‘Rio-Paris: A Tragédia do Voo 447′ relembra a queda do avião da Air France que matou 228 pessoas em 2009

PUBLICIDADE

Por Valentina Rosa
Atualização:
Cena do documentário 'Rio-Paris - A Tragédia do voo 447', do Globoplay Foto: Divulgação/Globoplay

Um novo documentário da Globoplay vem gerando repercussão nas redes sociais nos últimos dias. Na série Rio-Prais A Tragédia do Voo 447, que relembra a queda do avião da Air France, em 2009, que matou 228 pessoas, a Globo optou por fazer a dublagem dos relatos utilizando inteligência artificial (IA), reproduzindo as vozes originais dos entrevistados, em vez de contratar dubladores profissionais para a realização do trabalho.

PUBLICIDADE

No início de todos os quatro episódios da série, é exibido um recado que diz: “A versão em português das entrevistas concedidas em língua estrangeira para este documentário foi feita a partir da voz dos próprios entrevistados, como uso de Inteligência Artificial, respeitando-se todos os direitos e leis aplicáveis. O conteúdo das dublagens é fiel às entrevistas originais. Os entrevistados que não aceitaram a dublagem foram legendados”.

Entretanto, o público parece não ter gostado muito dessa decisão da Globo e usou as redes sociais para criticá-la: “Realmente os dubladores já estão perdendo os trabalhos deles para IAs (voz toda robótica), que m****”, disse um. “Péssimo! Sou completamente contra essa prática. Que vergonha”, falou outro. “Acho mico demais! Os dubladores precisam do seu lugar garantido”, escreveu um terceiro.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.