Oferta menor no campo tende a elevar os índices de inflação; preços dos ovos já subiram

Verduras, legumes e frutas já sofrem com as alterações climática; preço do arroz e feijão também pode ser pressionado

Publicidade

PUBLICIDADE

Por José Maria Tomazela
Atualização:
2 min de leitura

Uma redução na produção de grãos, carnes e ovos por causa das condições climáticas pode interferir na trajetória da inflação nos próximos meses. Segundo analistas, alimentos mais sensíveis ao clima, como verduras, legumes e frutas já sofrem com as alterações climáticas. Os preços do arroz e do feijão também podem sentir reflexos da queda de produção devido ao calor intenso.

O pesquisador Thiago Bernardino de Carvalho, do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea/Esalq) da USP, afirma que os impactos na oferta de pastagem devem interferir na produtividade dos animais e resultar na falta de bois para abate. “Isso afeta a ponta final, que é o preço da carne, mas vai depender das carnes concorrentes e do apetite do consumidor. No fim de ano, geralmente ele compra mais carne bovina. Aumento na demanda e redução na oferta podem trazer esse impacto na inflação”, disse.

Leia também

Ele lembra que a carne bovina representa 2% do IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo). “O momento desse impacto, tanto na carne como no leite, vai depender de o consumidor se dispor a absorver o preço. O leite está com preços baixos, mas pode haver problemas na captação. Então, é de se esperar que os preços subam e isso traz efeito na inflação”, disse.

Preço do ovo já subiu no interior de São Paulo Foto: Tiago Queiroz/Estadão

Já no caso dos ovos, segundo a analista Juliana Ferraz, do Cepea, os preços subiram nos primeiros dias de novembro devido à onda de calor que afetou boa parte das regiões produtoras de ovos em setembro, reduzindo a disponibilidade do produto em outubro. Também contribuiu o aumento da mortalidade de aves, devido ao calor intenso.

Esse cenário impulsionou as cotações da proteína em quase todas as regiões acompanhadas pelo Cepea. Em Bastos, principal região produtora de São Paulo, o preço do ovo branco subiu 3,4% e do ovo vermelho, 3,2%.

No boletim Focus, do Banco Central, divulgado na última segunda-feira, 4, a expectativa do mercado para a inflação deste ano era de 4,54%. Para 2024, a expectativa é de que o IPCA termine o ano em 3,92%.