PUBLICIDADE

EXCLUSIVO PARA ASSINANTES
Foto do(a) coluna

Bastidores do mundo dos negócios

Fundo ESG da Itaú Asset chega a R$ 1 bi

Cenário, retorno e divulgação do produto são responsáveis pelo resultado, diz gestora

Foto do author Bruna Emy Camargo
Por Bruna Emy Camargo (Broadcast)
Fundo teve retorno de 110,49% do CDI no acumulado dos últimos 12 meses Foto: Werther Santana/Estadão Conteúdo

O fundo Itaú Active Fix ESG FIC Multimercado Crédito Privado, gerido pela Itaú Asset, alcançou a marca de R$ 1 bilhão em patrimônio líquido (PL) em março. A avaliação da gestora é que o momento de mercado, o retorno apresentado e uma aposta na melhoria do material de divulgação convergiram para o resultado.

PUBLICIDADE

O crescimento do fundo foi acelerado nos últimos 12 meses. Segundo a Itaú Asset, o Active Fix captou R$ 945,75 milhões nesse período, passando de 827 para 6,9 mil cotistas, sendo a maior parte de investidores pessoas físicas.

“Dado o momento do ciclo econômico, o mercado de crédito tem atraído muita atenção do investidor, o que ajuda na captação e no aumento de PL”, afirmou Renato Eid Tucci, sócio e superintendente de estratégias indexadas e investimento responsável da Itaú Asset, ao Broadcast.

Valor é marco para veículos com classificação sustentável

O PL de R$ 1 bilhão é um marco para fundos com a classificação de investimento sustentável. Conforme levantamento da Quantum Finance, no fechamento de março, apenas outro fundo estava acima desse valor: o BNP Paribas Crédito Institucional Sustentável IS FIC Renda Fixa Crédito Privado LP, da BNP Paribas Asset Management, com R$ 1,692 bilhão.

Isso em meio à movimentações como a de Larry Fink, presidente executivo (CEO) da BlackRock, maior gestora de ativos do mundo, que “abandonou” as letras ESG de suas cartas e comentários públicos. Em evento, a presidente da BlackRock no Brasil, Karina Saade, já chegou a falar que, ao colocar a sigla ESG no nome de um fundo “multiativos”, a venda é menor.

Publicidade

Tucci, da Itaú Asset, reconhece ser um desafio comunicar o valor do produto ao investidor. Até por isso, o analista sênior de ESG da gestora, Alexandre Gazzotti, credita o crescimento do fundo também ao “refinamento” do material de divulgação dos fundos, com o objetivo de trazer maior clareza e transparência sobre as informações, e a apresentação da performance do veículo. Nos últimos 12 meses, o fundo acumula retorno de 110,49% do CDI.

Parâmetros são os ODS das Nações Unidas

Lançado em julho de 2021, o Itaú Active Fix ESG direciona a alocação de seus recursos para dívidas de empresas com atividades econômicas diretamente relacionadas à geração de impactos positivos para a sociedade e/ou para o meio ambiente. O fundo pode investir em títulos verdes ou ligados à sustentabilidade (“Social Linked Bonds”), quando o uso dos recursos dessas emissões estiver alinhado com Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas (ONU): Saneamento, Educação, Saúde, Energia Renovável, Gestão de Resíduos e Emissões Verdes.

Marcelo Moreno, gestor de fundos de crédito da Itaú Asset e do Active Fix ESG, destaca ainda que há uma “soma de expertises” para, a partir deste filtro, buscar ativos de qualidade para as carteiras e que “realmente promovam impacto social e ambiental”. “Temos um processo rigoroso para acompanhamento e análise de empresas emissoras de crédito e a mais completa metodologia para integração de critérios ESG nessas avaliações”, diz, em nota.

O fundo Active Fix está disponível para o investidor geral, tem aplicação inicial mínima de R$ 1, taxa de administração de 0,5% ao ano e taxa de performance de 20% sobre o que exceder 100% do CDI.


Este texto foi publicado no Broadcast no dia 03/04/24, às 16h04

Publicidade

O Broadcast+ é uma plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.