Publicidade

Publicidade

Publicidade

Lula lança conexão de cidades da região Norte ao Sistema Interligado Nacional

Municípios de Amazonas e Pará passarão a receber energia elétrica do mesmo sistema que abastece a maior parte do País; governo quer reduzir emissões de carbono com iniciativa

Foto do author Sofia  Aguiar
Foto do author Caio Spechoto
Foto do author Marlla Sabino
Por Sofia Aguiar (Broadcast), Caio Spechoto (Broadcast) e Marlla Sabino
Atualização:

BRASÍLIA - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva lançou a conexão das cidades de Parintins (AM), Itacoatiara (AM) e Juruti (PA) ao Sistema Interligado Nacional (SIN). Os municípios passarão a receber energia elétrica do mesmo sistema que abastece a maior parte do País.

PUBLICIDADE

Lula também assinou a ordem de serviço para conectar Roraima ao SIN, por meio do linhão de Tucuruí.

O ato ocorreu foi em Parintins (AM), onde o presidente realiza o lançamento do programa Energias da Amazônia. Segundo o governo, haverá substituição de fontes de energia suja por opções mais sustentáveis para reduzir as emissões de carbono em 1,5 milhão de toneladas até 2030.

O Planalto afirma que, atualmente, Parintins queima 45 milhões de litros de óleo diesel para gerar energia ao ano por estar fora do SIN, o que deixará de ser necessário.

Lula assinou a ordem de serviço para conectar Roraima ao Sistema Interligado Nacional, por meio do linhão de Tucuruí Foto: Ibama/Divulgação

O comunicado do governo afirma haver 211 sistemas isolados (que precisam gerar energia localmente por falta de ligação com o sistema nacional) na região amazônica — são cerca de 250 no País todo. A nova ação terá custo de cerca de R$ 5 bilhões.

Na conectividade de Roraima ao SIN, serão investidos R$ 2,6 bilhões nas obras, cujo fim está previsto para setembro de 2025.

O ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, afirmou no mês passado que o programa de descarbonização da Amazônia reduzirá em 40%, até 2026, o consumo de energia gerada com a queima de óleo diesel na região. Segundo ele, esse porcentual vai baixar para 20% em 2030.

Publicidade

Esses locais são supridos, em sua maioria, por usinas térmicas a óleo diesel. O custo para a compra dos combustíveis é rateado por todos os demais consumidores, por meio da Conta de Desenvolvimento Energético (CDE). A chamada Conta de Consumo de Combustíveis, a CCC, deve fechar o ano em cerca de R$ 12 bilhões, segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Luz para Todos

No evento, Lula também retomou o Luz para Todos que, nesta nova fase, vai beneficiar até 500 mil famílias até 2026. O programa leva energia elétrica à população rural, em especial no Norte do País e em regiões remotas da Amazônia Legal.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.