Quem é Max Telles, filho caçula do bilionário Marcel Telles, que vai herdar R$ 30 bi da AB InBev

Jovem se formou nos Estados Unidos e tem experiência no mercado financeiro

PUBLICIDADE

Foto do author Redação
Por Redação

Max Van Hoegaerden Herrmann Telles é o filho caçula do bilionário Marcel Herrmann Telles, que vai assumir a participação de seu pai na AB InBev, a maior cervejaria do mundo, dona de empresas como Budweiser, Stella Artois e a brasileira Ambev. A empresa é avaliada em cerca de US$ 112,1 bilhões (cerca de R$ 540,7 bilhões).

PUBLICIDADE

De acordo com documentação enviada à Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos (Securities and Exchange Commission), a doação foi realizada no último dia 15. A fatia que o herdeiro deve assumir do pai na AB InBev, formada em 2008, quando a então InBev comprou a Anheuser-Busch, é avaliada em US$ 6,1 bilhões (ou cerca de R$ 30 bilhões), conforme informações da Bloomberg.

O empresário, de 73 anos, doou as ações que detinha em uma entidade que exerce o controle da BRC, por meio da qual ele e os sócios Jorge Paulo Lemann e Carlos Alberto Sicupira detêm participação indireta (33,47% das ações) na gigante de bebidas.

Telles é dono da quarta maior fortuna do País, de acordo com ranking da revista Forbes, com patrimônio estimado em US$ 11,2 bilhões (R$ 54 bilhões), e ocupa a 178ª colocação no ranking global. 

Max é fruto do casamento de Telles com Bianka van Hoegaerden, de quem o executivo se separou em 2009, e tem um irmão, Christian. Em 2017, Telles doou sua participação na companhia imobiliária São Carlos Empreendimentos aos seus dois filhos - sucessão patrimonial que foi acompanhada também pelos outros sócios da empresa, Lemann e Sucupira.

Segundo informações do seu perfil do LinkedIn, Max é bacharel em artes com formação secundária (minor) em economia, pela universidade americana Wake Forest University.

A última atualização sobre experiência profissional da sua página é a de analista financeiro da BTG Pactual Asset Management, em Nova York, onde atuou entre setembro de 2019 e abril de 2022. Max ainda trabalhou no escritório do BTG em Londres, por cerca de dois anos, na área de arbitragem de risco.

O herdeiro também foi trainee do time global da AB InBev em Saint Louis, nos Estados Unidos. E entre 2015 e 2016, participou do programa de estágio de verão no Credit Suisse, na área de Investment Bank, em São Paulo; e na consultoria Falconi.

Publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.