Países reduzem taxa de jovens nem-nem enquanto Brasil mantém índice há dez anos; entenda por quê

Cenário brasileiro segue entre os piores, permanecendo entre os sete que mais têm jovens que não estudam nem trabalham; faltam políticas públicas específicas

Publicidade

PUBLICIDADE

Atualização:
2 min de leitura