Itaim Bibi é o campeão de lançamentos de imóveis novos

Dados são do Sindicato da Habitação (Secovi-SP); Vila Mariana, Perdizes e Pinheiros são outras regiões que se destacaram

Publicidade

PUBLICIDADE

Por Heraldo Vaz
2 min de leitura

Com 4.139 apartamentos, o Itaim Bibi foi o distrito de São Paulo com o maior número de lançamentos no ano passado, segundo os dados do Sindicato da Habitação (Secovi-SP). Vila Mariana, Perdizes e Pinheiros são outras regiões que também se destacaram, somando 8,1 mil novos imóveis.

A Lopes lançou quatro projetos no Itaim. Foram 902 unidades distribuídas pelo Helbor B. Liv, Wonder e Level Brooklin, com apartamentos de 24 m² a 55 m² e preços a partir de R$ 300 mil. O Guararapes 55 é o maior, com 32 unidades, de 141 m² e três suítes, em uma torre de 16 andares. 

Leia também

Foram 4.139 apartamentos lançados no Itaim Bibi em 2021; número corresponde a 5% do total de 81 mil unidades lançadas na capital. Foto: Felipe Rau/Estadão

Segundo a diretora-geral de Atendimento da Lopes, Mirella Parpinelle, a empresa ficou com uma fatia de 23% dos lançamentos feitos no Itaim, distrito que reúne os bairros do Itaim Bibi, Vila Olímpia e parte do Brooklin, seguindo a definição da Prefeitura de São Paulo.

Pesquisa da Brain Consultoria Estratégica considerou o bairro Itaim Bibi como o metro quadrado mais caro da cidade, na faixa de R$ 35 mil, para a compra de imóvel superluxo. Nesse nicho de mercado, o m² sai, em média, por R$ 27 mil.

Mirella comenta que a Vila Mariana tem lançado projetos de alto e altíssimo padrões, com apartamentos de 150 m² e 180 m². Imóveis acima desse tamanho são raridade. No anuário Secovi, unidades com mais de 180 m² ficaram restritas a 1% do total de 81,8 mil lançamentos feitos em 2021.

Os compactos dominam o território paulistano. Apartamentos com área de até 45 m² representaram 76% do total. Ou seja, três em cada quatro novos imóveis. Sobra uma fatia de 14% para quem busca um espaço maior que isso para morar.

Continua após a publicidade

Entre 45 m² e 65 m², o índice foi de 9% dos lançamentos em 2021. Na faixa de 66 m² a 85 m², a participação ficou em 7%. Com 86 m² a 130 m², apenas 6% do total. E as unidades com 131 m² a 180 m² responderam por 3% dos novos imóveis.

Em termos de preço, a grande maioria (77%) dos imóveis que chegaram ao mercado no ano passado custam até R$ 500 mil, de acordo com os dados do Secovi. Mirella considera a faixa de R$ 500 mil a 800 mil para o médio padrão. “Em metro quadrado, o alto padrão sai por volta de R$ 18 mil”, avalia. “A partir de 28 mil o m² é o que o mercado tem lançado de altíssimo padrão.”