SP: ‘Zona Azul nos calçadões do centro é ação paliativa e limitada’, diz urbanista

PUBLICIDADE

Por Rádio Eldorado
Atualização:
1 min de leitura
00:0012:18

A criação de 275 vagas de zona azul nos calçadões no entorno do Theatro Municipal impede o paulistano de caminhar pelo centro de São Paulo e ver os problemas da região. Na avaliação do arquiteto e urbanista Kazuo Nakano, a ação que privilegia à demanda dos veículos vai na contramão da legislação, seja do Plano de Mobilidade ou do Plano Diretor, que tenta desestimular o uso do carro. Em entrevista à Rádio Eldorado, o professor do Instituto das Cidades da Universidade Federal de São Paulo, explica que a motivação é “paliativa e pontual e, ao invés de resolver problemas do centro, procura escondê-los. Não é estratégia para trazer vida urbana no centro”.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.