PUBLICIDADE

Padre Fábio de Melo desabafa sobre sua família: ‘O álcool destruiu a minha vida’

Sacerdote detalhou problemas familiares com alcoolismo e luto por sua mãe, que morreu vítima da Covid-19 em 2021

Foto do author Redação
Por Redação
Atualização:

Padre Fábio de Melo fez revelações emocionantes sobre a sua família no programa Conversa com Bial da última sexta-feira, 27.

PUBLICIDADE

Em seu novo livro, A Vida É Cruel, Ana Maria: Diálogos Imaginários Com Minha Mãe, o sacerdote escreve para a sua mãe, que morreu em 2021 devido à Covid-19. “O livro trata muito da minha dificuldade de desmentir aquilo que muitas vezes a mãe acreditou de mim. Que eu era um homem pronto, que nada iria me abalar. Sempre foi assim”, contou.

“Sempre que pensava na morte da minha mãe, eu sabia que seria o pior dia da minha vida. Então eu vivi de fato o pior dia da minha vida. E quando eu vivi a experiência definitiva daquela finitude com ela, da minha relação com ela, vivi uma libertação também. Eu agora posso morrer”, falou.

Padre Fábio de Melo no 'Conversa com Bial' Foto: Reprodução/Globo

Padre Fábio também relatou que viu sua mãe sepultar duas filhas e visitar um filho preso, então sabia que havia muito sofrimento em sua família. “Quando ela morreu foi a primeira coisa que pensei: ‘pronto, agora se eu não quiser ser feliz eu não preciso mais’”, disse. “Claro, não é a minha opção, mas é, de fato, uma realidade que se apresentou pra mim”, falou.

Na conversa, ele também contou sobre seu pai, que tinha problemas com o álcool. “O meu pai alcoolizado era um homem completamente diferente do homem sóbrio que nós tínhamos no dia a dia”, revelou.

“Meu pai era um homem lindo, íntegro, de nobreza de alma. Só que quando ele bebia... É uma coisa que insisto muito como padre nas minhas pregações. O álcool destruiu a minha casa, continua destruindo pois ainda é um problema na vida de alguns irmãos”.

“É genético, não tenho dúvida disso. Se eu me concedesse o direito de beber de vez em quando eu tenho medo de me transformar no meu pai”, disse.

Publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.