Polícia australiana investiga pai de Taylor Swift por suposta agressão

Scott Swift, de 71 anos, foi denunciado por agredir um fotógrafo que tentou se aproximar da cantora quando ela desembarcava de um iate em Sydney

PUBLICIDADE

Por AFP

SYDNEY, AUSTRÁLIA/AFP - O pai da cantora americana Taylor Swift deixou a Austrália depois de ser denunciado por agredir um fotógrafo, informou nesta terça-feira, 27, a polícia, que continua investigando o caso. Scott Swift, 71 anos, “deixou o país, mas as investigações prosseguem”, afirmou uma porta-voz da polícia australiana.

A equipe da cantora não comentou a acusação, mas uma porta-voz criticou o comportamento agressivo de dois indivíduos que tentaram se aproximar de Taylor Swift quando ela desembarcava de um superiate na manhã desta terça-feira em Sydney.

A polícia australiana informou que recebeu uma denúncia de que “um homem de 71 anos supostamente agrediu um homem de 51 anos”.

A confusão aconteceu durante a madrugada no terminal de balsas de Neutral Bay, norte de Sydney, afirmou à AFP a porta-voz da polícia, Alicia McCumstie. ”O homem mais jovem denunciou o incidente e os policiais estão investigando”, declarou a porta-voz.

A cantora e compositora americana Taylor Swift se apresenta durante a primeira noite da 'The Eras Tour' na Austrália no Melbourne Cricket Ground, Melbourne, Austrália, 16 de fevereiro de 2024. Foto: JOEL CARRETT/EFE

PUBLICIDADE

A polícia australiana não identifica os acusados em uma investigação, mas uma fonte das forças de segurança e a suposta vítima, o fotógrafo Ben McDonald, afirmaram à AFP que a denúncia foi apresentada contra Scott Swift. “Um soco nas costelas”. disse o fotógrafo veterano que estava no cais para tentar obter imagens da estrela no superiate.

Quando Swift já havia deixado o local, um homem confrontou McDonald e “deu um soco nas costelas”, afirmou o denunciante.”Eu não sabia quem ele era, mas olhei as fotografias e o vi de mãos dadas com Taylor, e era o pai dela”, disse. ”Foi um choque. Isso nunca aconteceu comigo em 26 anos de trabalho”, acrescentou.

Porém, de acordo com seu relato, a equipe de segurança de Taylor Swift colocou um guarda-chuva na frente de seu rosto para evitar que a artista fosse fotografada enquanto caminhava pelo cais na direção de um veículo.

Publicidade

Dois indivíduos avançaram agressivamente para abrir caminho na direção de Taylor, agarrando os funcionários de segurança e ameaçando jogar uma funcionária na água”, disse a fonte à AFP. A representante não comentou diretamente a acusação de agressão contra o pai de Swift, nem respondeu outras perguntas para explicar o incidente.

A megaestrela da música fez na segunda-feira o quarto e último show em Sydney de sua turnê The Eras Tour, que esta semana prossegue para Singapura para a parte final de apresentações na região Ásia-Pacífico.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.