PUBLICIDADE

Jogador de basquete reclama por ter sido confundido com ‘ser gigante’ em viagem; entenda

Felipe Motta, ala do Flamengo, diz que foi avistado no topo de um dos morros da Ilha do Mel, no Paraná

Foto do author Redação
Por Redação
Atualização:

Durante uma trilha na Ilha do Mel, no Paraná, algumas pessoas observaram o avistamento de um “ser gigante” nos morros próximos à região. Na internet, viralizaram as teorias do que seria o possível ET, com “mais de três metros”. No entanto, o mistério era, simplesmente, um jogador de basquete do Flamengo. Felipe Motta, 20 anos, e com 1,94 metro de altura. Nesta segunda-feira, o ala ‘reclamou’ em suas redes sociais pela confusão. Não há, no entanto, certeza de que o jogador tenha sido realmente o ser avistado.

PUBLICIDADE

Motta, assim como os demais turistas, estava visitando o local nos últimos dias. Na internet, destacaram que “seres estranhos” – no caso, o jogador do Flamengo – estavam em um “morro de difícil acesso” na Ilha do Mel, segundo relatos. O jogador brincou e ‘desabafou’ sobre a situação em suas redes sociais.

“Eu entendo que eu sou alto, mas algumas coisas têm que parar”, afirmou Motta. “Fui fazer uma trilha para aproveitar a natureza, mas uma turma tira foto de mim, me filma e manda para página de fofoca, que me chama de ‘ser estranho com mais de três metros’”. Na sequência, em clima de ‘revolta’, o atleta convoca “todos os altos do mundo para uma revolução”, inspirado pela maneira como foi tratado nas redes sociais.

“Chega de ser o mais alto do chuveiro, de não caber no espelho, de não achar tênis no nosso tamanho, de se sentir culpado por ser muito alto e a galera de trás não conseguir ver os shows”, aponta o ala. Ele também aproveita o momento para ‘reclamar’ das piadinhas que recebe em seu dia a dia.

Nessa temporada do Novo Basquete Brasil (NBB), o Flamengo lidera a classificação da temporada regular, com 17 vitórias em 19 jogos – a mais recente contra o Vasco, 84 a 79. Motta, por sua vez, tem números modestos pela equipe rubro-negra nesta temporada. Média de 0,6 pontos e 0,7 assistências por jogo, além de 0,4 rebotes a cada partida. O próprio Flamengo também brincou sobre essa situação (Veja vídeo abaixo).

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.