PUBLICIDADE

Publicidade

Calor do Nordeste assusta as seleções europeias

Jogos disputados à tarde incomodaram Itália e Espanha. No Mundial, haverá partidas às 13 horas em dez das 12 sedes

PUBLICIDADE

Por PAULO FAVERO - Enviado especial
Atualização:

SALVADOR - As duas seleções europeias que participaram da Copa das Confederações sofreram muito com as condições climáticas que encontraram, e esperam que no Mundial haja no mínimo tempo maior de descanso para as equipes recuperaram as energias entre um jogo e outro.

 

PUBLICIDADE

O torneio serviu para mostrar para Itália e Espanha que o Brasil tem diferenças climáticas enormes, mesmo no período de inverno, e que o horário escolhido para os jogos só é bom para as transmissões televisivas, porque muitas partidas foram realizadas no meio da tarde com o sol ainda forte em cidades do Nordeste.

 

Os últimos a sofrer foram os italianos, que consideraram absurdo jogar em Salvador às 13h – horário da disputa do terceiro lugar com o Uruguai. O goleiro Buffon foi irônico ao falar sobre o assunto. "Foi bom, é um horário inteligente para se jogar." Para azar dele, no calendário oficial há partidas nesse horário em dez das 12 sedes – apenas Manaus e Cuiabá não terão jogos às 13h.

 

Com estádios em todas as regiões, a Copa de 2014 terá partidas em clima frio – como em Porto Alegre e Curitiba, que costumam ter invernos mais rigorosos –, em clima quente e seco, como Cuiabá e Brasília, e em clima quente e úmido, como em Recife, onde chove muito no período de disputa da Copa. Pela tabela que já está pronta para o Mundial de 2014, tem seleção que vai atuar uma vez em Salvador e no jogo seguinte estará em Porto Alegre. Outra, terá jogos em Curitiba e Manaus.

 

"Na Copa vamos ter de melhorar a condição física. Só queremos que a organização garanta as mesmas condições de descanso para todas as seleções. De qualquer forma, levamos para casa que muitas das coisas dependem mais de nós do que dos outros", disse o técnico italiano Cesare Prandelli. Ele quer que a federação de seu país convença os clubes a liberar os jogadores em abril para dois dias de testes físicos e exames médicos no CT da seleção, ao lado de Florença, para que a comissão técnica tenha dados para planejar a preparação para o Mundial.

 

Na Espanha, que atuou no Recife, Rio de Janeiro e Fortaleza, a sensação é de que não haverá como alterar muita coisa para o próximo ano. "Tentamos nos recuperar da melhor forma possível entre uma partida e outra, mas não temos como mudar o clima. A temperatura não é a melhor para a gente, mas é igual para todos", disse Busquets. Para Arbeloa, o ideal seria jogar quando o sol já estivesse baixo. "Para nós seria melhor jogar mais tarde, às 19h, como foi contra o Uruguai." Sergio Ramos, porém, compreende que os horários sejam ditados pela tevê. "Temos de pensar no horário da Europa, para que as crianças possam ver seus ídolos antes da madrugada."

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.