PUBLICIDADE

Publicidade

Carlos Alberto quebra carro de ex-namorada após ser expulso de condomínio; veja vídeo

Residencial tem 50 queixas contra o ex-jogador envolvendo perturbação por música alta e até urina em local público; atleta acumula passagens por Vasco, Fluminense, Corinthians, Botafogo e Porto; reportagem do Estadão tentou contato com ex-jogador, mas não foi atendida

PUBLICIDADE

Foto do author Leonardo Catto
Atualização:

O ex-jogador Carlos Alberto é alvo de uma ação judicial que pede sua expulsão do condomínio em que mora na Barra da Tijuca, no Rio. Entre as ações atribuídas a ele para o pedido de expulsão, está uma briga em que Carlos Alberto quebra dois retrovisores do carro da sua ex-namorada no que parece ser a saída do estacionamento do local. O Estadão tentou contado com o ex-jogador, mas não foi atendido.

PUBLICIDADE

Conforme apurou o Estadão, era a própria ex-namorada que dirigia o veículo no momento registrado em vídeo. O episódio aconteceu em outubro do ano passado. Todas as reclamações envolvendo Carlos Alberto listados pelo Condomínio Alphaland Residence Club aconteceram entre junho de 2019 e março de 2023 e foram compiladas pelos representantes do residencial, do escritório Bragança e Feijó. São 50 queixas contra o ex-jogador, envolvendo perturbação por música alta, insulto a porteiros, lançamento de garrafas, discussões e urina em local público. A informação e o vídeo do momento em que o ex-jogador chuta o veículo foram publicados pelo jornal O Globo e confirmadas pelo Estadão.

No vídeo, que integra a ação judicial, ele alega que teve o pé quebrado antes de quebrar os retrovisores a chutes. “Liga para a polícia que tu vai ver. Tu quebrou meu pé. Meu pé está quebrado. Chama a polícia que eu vou contar que o teu marido é assassino e você é partícipe”, disse. Imagens anteriores, mostram Carlos Alberto deitado em frente ao carro, como se tivesse sido atingido pelo veículo.

Em 2023, Carlos Alberto foi demitido da Band por ter sido acusado de agredir um torcedor do Flamengo. Foto: Band/Reprodução

Uma liminar estabeleceu multa de R$ 20 mil para Carlos Alberto, com base no código de conduta do condomínio. O valor é cinco vezes o que ele paga mensalmente ao residencial. Entretanto, o ex-jogador nunca pagou as multas. A ação judicial, no âmbito civil, pedia que seja aplicada multa de, no mínimo, R$ 10 mil em novos casos de perturbação. No âmbito criminal, ele responde por pertubação de sossego, mas ainda não foi citado judicialmente nos processos. O Estadão não foi atendido ao tentar contato com Carlos Alberto.

Essa não é a primeira vez que o ex-jogador se envolve em casos polêmicos e demonstra comportamento violento. Em fevereiro de 2023, ele foi demitido da Band, acusado de agredir um torcedor do Flamengo em um restaurante na Barra da Tijuca.

Aos 39 anos, Carlos Alberto vive a aposentadora desde 2019, quando disputou o Campeonato Carioca pleo Boavista. O meia foi revelado pelo Fluminense, em 2002, e logo foi para o Porto, pelo qual foi campeão da Champions League 2003/04. No ano seguinte, ele voltou ao Brasil e foi campeão brasileiro pelo Corinthians, mas logo perdeu espaço na equipe paulista.

Ele teve uma nova passagem pelo Fluminense, sendo campeão da Copa do Brasil, em 2007, e voltou à Europa, para vestir a camisa do Werder Bremen. Sem sucesso, voltou ao Brasil e passou por São Paulo, Botafogo e Vasco. No clube carioca, viveu novamente um bom momento, sendo uma referência técnica no time campeão da Série B em 2009. Um desentendimento com o então presidente Roberto Dinamite o fez sair do clube.

Publicidade

Carlos Alberto foi então para o Grêmio, além de ter passado por Bahia, Vasco e Botafogo novamente, Goiás, Al Dhafra (Emirados Árabes Unidos), Figueirense e Athlético-PR.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.