Publicidade

Rússia retira recurso contra Fifa na CAS por exclusão das Eliminatórias da Copa do Mundo

União Russa de Futebol abre mão de disputar na Justiça a possibilidade de ir ao Mundial do Catar

PUBLICIDADE

Foto do author Redação
Por Redação
Atualização:

A Corte Arbitral do Esporte (CAS) anunciou nesta terça-feira, 5, que a União Russa de Futebol (RFS, sigla em russo) retirou o recurso contra a Fifa pela decisão de excluir a seleção das competições internacionais como forma de sanção pela invasão à Ucrânia. Desta forma, a entidade abre mão de disputar na Justiça a possibilidade de ir à Copa do Mundo

A primeira derrota dos russos nos tribunais aconteceu no dia 18 de março, quando as punições da Fifa foram mantidas pela Corte até que a entidade máxima do futebol tomasse uma decisão definitiva. A RFS tinha a esperança de que tivesse pelo menos a pudesse seguir disputando as Eliminatórias, o que não ocorreu. Com a selecionado fora da repescagem, a Polônia teve caminho livre para encarar a Suécia na fase seguinte, superando o adversário e garantindo vaga no Mundial do Catar.

Seleção russa aceita punição da Fifa e retira recurso contra a entidade no CAS Foto: Adrian Dennis/AFP Photo

PUBLICIDADE

Apesar de encerrar a ação contra a Fifa, a RFS manteve o processo contra a Uefa, que suspendeu a seleção e os clubes russos das competições europeias. A equipe feminina do país se preparava para a disputa da Eurocopa, que será em julho, na Inglaterra. “Nenhum calendário foi estabelecido para o processo por enquanto”, informou o CAS.

Para a RFS, tanto a Fifa quanto a Uefa não cogitaram outras alternativas antes de sacramentar as punições. O entendimento da federação é que a decisão não possui bases legais e viola as regras do fair play e o princípio do esporte. Único time do país envolvido em competições internacionais, o Spartak Moscou foi excluído da Liga Europa. 

Nas últimas semanas, o tribunal recebeu uma série de processos contra as sanções aplicadas às equipes russas após a invasão à Ucrânia. Segundo o CAS, as federações de patinação, biatlo, remo, rugby e ginástica apelaram contra a exclusão do país das competições internacionais de suas modalidades.