Publicidade

Pia Sundhage é demitida pela CBF e não é mais técnica da seleção brasileira feminina

Sueca fracassou com o País na Copa do Mundo da Austrália e da Nova Zelândia e deixa o cargo de técnica após quatro anos

PUBLICIDADE

Foto do author Marcos Antomil
Por Marcos Antomil
Atualização:

A sueca Pia Sundhage não é mais técnica da seleção brasileira feminina. A decisão foi oficializada nesta quarta-feira pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Diante do fracasso da equipe na Copa do Mundo da Austrália e da Nova Zelândia, a perspectiva era de grandes mudanças no setor. O nome do substituto ainda não foi anunciado.

PUBLICIDADE

“Encerramos a partir de hoje o trabalho de Pia com a CBF. Quero agradecer a ela e a todos aqueles que conviveram e fizeram parte da comissão técnica da seleção brasileira feminina de futebol, que participou da Copa do Mundo Feminina Fifa 2023 . Pia trouxe também, nesse período de 2019 até aqui, um trabalho que, para a CBF e para o futebol brasileiro como um todo, foi muito importante. Desejamos a ela, em seus novos desafios, todo o sucesso”, disse o presidente da CBF, Ednaldo Rodrigues.

De acordo com a entidade, a nova comissão técnica deve ser anunciada nos próximos dias e terá como missão melhorar os resultados da seleção feminina na Olimpíada, que será disputada em Paris em 2024, e na próxima Copa do Mundo, em 2027, que ainda não tem sede definida.

Pia Sundhage não conseguiu bons resultados com a seleção brasileira. Foto: Amr Abdallah Dalsh/ Reuters

Há expectativa para que o técnico do Corinthians, Arthur Elias, assuma o comando da seleção feminina. As grandes campanhas que o treinador tem liderado no clube alvinegro tornaram seu nome o favorito para a função.

Bicampeão olímpica com a seleção dos Estados Unidos, Pia chegou ao Brasil com a esperança de reformular a equipe e buscar feitos inéditos. No entanto, o trabalho passou longe dos resultados almejados. O único título de destaque foi a Copa América diante de rivais mais fracos do nosso continente.

Nos Jogos de Tóquio, o Brasil foi eliminado nas quartas de final pelo Canadá, que se tornaria campeão olímpico. O jogo terminou empatado sem gols, e as canadenses levaram a melhor nos pênaltis, ganhando por 4 a 3.

A Copa Feminina, porém, marcou a maior frustração da era Pia. O Brasil chegou ao Mundial com a empolgação de bons desempenhos ante as poderosas Inglaterra e Alemanha, mas acabou eliminado ainda na fase de grupos. A seleção brasileira bateu o modesto Panamá (4 a 0), perdeu para a França (2 a 1) e empatou com a também limitada Jamaica (0 a 0).

Publicidade

Toda a comissão técnica de Pia foi dissolvida pela CBF. Deixam também seus cargos as suecas Lilie Persson e Anders Johansson, auxiliares, e Ann-Helen Grahm, observadora técnica. Pia esteve à frente da seleção brasileira em 57 jogos, somando 34 vitórias, 13 empates e 10 derrotas.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.