Publicidade

CBF tem superávit milionário e crescimento recorde na arrecadação; veja valores

Entidade diz ter aumentado investimento no futebol em 2023 e anuncia recorde de 66% na arrecadação

PUBLICIDADE

Foto do author Redação
Por Redação
Atualização:

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) revelou nesta terça-feira o balanço da temporada de 2023 com um crescimento recorde de 66% na arrecadação. O superávit anunciado pelo presidente da entidade, Ednaldo Rodrigues, é de R$ 238 milhões. As contas foram aprovadas pelos 27 presidentes de federações.

PUBLICIDADE

Pelo segundo ano sob gestão de Ednaldo Rodrigues, a CBF fecha com superávit. Em 2022 o valor foi de R$ 143 milhões. No triênio 2021 e 2023, o superávit alcançado foi de 246%, revelaram os números anunciados pela entidade em gráficos explicativos.

“Esses resultados sem precedentes não seriam alcançados sem uma gestão eficiente, disciplina austera e constante aprimoramento de nossa governança, tampouco sem o empenho e alinhamento de toda a diretoria, colaboradores e prestadores de serviços”, disse o presidente da CBF, Ednaldo Rodrigues, no comando da entidade desde março de 2022.

A CBF explicou que na temporada passada aumentou o investimento no futebol. Foram injetados um incremento de 22% nas contribuições destinadas às competições e ao fomento aos estados, representando um aporte adicional de recursos em várias competições, principalmente as que exigem maior apoio por parte da CBF para o seu desenvolvimento como as das Série B (19,7%), C (11,2%) e D (24,3%), além das competições femininas (11,3%).

CBF teve arrecadação recorde em 2023 Foto: Wilton Junior/Estadão

“Acreditando na força do futebol brasileiro, elevamos os valores aplicados no fomento da modalidade a patamares 70% superiores aos praticados por administrações anteriores, investindo mais de R$ 700 milhões anualmente no custeio de seleções, nas competições profissionais, femininas e de base, na qualificação continuada de nossa arbitragem e em incentivos às federações filiadas por meio do consagrado Programa de Apoio às Federações (PAF)”, explicou Ednaldo.

Nos números apresentados na sede da entidade, no Rio, a CBF revelou arrecadação de patrocínio de R$ 527 milhões. Também revelou outra fonte de receita em crescimento: o Registro e Transferência fechou 2023 com receita superior a R$ 31 milhões, um acréscimo de 30,2% em relação ao exercício anterior e de 70% na comparação com 2021.

“Cabe lembrar que todos esses números resultam também dos investimentos que, desde o início desta gestão, temos realizado em toda a cadeia do futebol. O que se distribui, volta”, completou Ednaldo Rodrigues, citando o programa CBF Transforma.

Publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.