Publicidade

Mesmo com briga na Justiça, Palmeiras tenta comprar parte do agente de Jesus

Destino do jogador deve ser o Manchester City

PUBLICIDADE

Por Daniel Batista
Atualização:

O atacante Gabriel Jesus confirmou que tem negociações bem adiantadas para deixar o Palmeiras e, embora não tenha dito o clube, seu destino será o Manchester City, por 32 milhões de euros (R$116,7 milhões). O jogador fica no time alviverde até o fim do ano e em seguida irá para a equipe inglesa. Enquanto isso, a diretoria alviverde tenta de todo jeito conseguir lucrar mais com a saída do garoto, de quem tem apenas 30% dos direitos econômicos. O Estado apurou que na semana passada, o Palmeiras tentou comprar os 22,5% dos direitos econômicos de Jesus, que pertencem ao agente Fábio Caran. Em reunião na Academia de Futebol, o diretor de futebol do clube, Alexandre Mattos, ofereceu uma proposta na casa dos 2 milhões de euros (R$ 7,3 milhões) para obter a porcentagem do empresário, que recusou a oferta, já que deverá ganhar mais de R$ 25 milhões caso a negociação saia e ele, de fato, receba os 22,5% dos direitos do atleta. 

Gabriel Jesus está próximo de deixar o Palmeiras Foto: Andre Dusek|Estadão

Apesar da proposta, o Palmeiras processa o agente alegando que ele descumpriu o que determina o contrato entre as partes e por isso não teria direito a receber na transação do garoto para o exterior. O Palmeiras alega que quando renovou o contrato de Gabriel Jesus, a empresa NAIMA, pertencem a Naima Ferreira, mulher e Fábio Caran, ficou com 22,5% dos direitos do jogador e Naima era a única proprietária da empresa. Pouco depois do acordo, ela transformou a empresa em uma sociedade limitada, com mais dois sócios. Naima passou a ter 1% da empresa, que mudou o nome para Naima Ferreira Ltda. Os 99% restantes ficaram sob a responsabilidade de Reinaldo Ayesh e Marco Redondo, amigos de Fabio Caran. Para o Palmeiras, isso é considerado uma transferência dos direitos econômicos do atleta, algo que faria a empresa perder a porcentagem sobre Jesus. Entretanto, a empresa manteve o CNPJ e apenas passou a ter mais sócios. Na visão dos advogados ouvidos pelo Estado, isso não configura como transferência dos direitos econômicos, logo o clube, não tem direito sobre os 22,5% pertencentes a empresa de Naima e administrada por Fabio Caran. Mas nos bastidores, o Palmeiras tem certeza de que conseguirá receber mais por Jesus. O acerto sendo concretizado, teoricamente o clube ficaria com 30% do valor (R$ 34,3 milhões), enquanto os empresários Cristiano Simões e Fábio Caran têm 22,5% (R$ 25,8 milhões cada) dos direitos econômicos do garoto e o próprio Gabriel Jesus tem 25% (R$ 28,6 milhões). Certo é que Gabriel Jesus fica no clube até o fim do ano e a tendência é que vá jogar no City. Entretanto, o Palmeiras tentará segurá-lo por mais seis meses para uma eventual disputa da Libertadores.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.