Publicidade

Corinthians, com um a menos, empata com o Fluminense

Ponto somado com o 1 a 1, porém, não tira o time alvinegro da zona de rebaixamento da classificação

PUBLICIDADE

Foto do author Redação
Por Redação
Atualização:

O calvário corintiano na zona de rebaixamento continua. Pelo menos até o clássico de domingo, contra o São Paulo. Nesta quarta-feira, o time conseguiu arrancar um empate por 1 a 1 contra o Fluminense, no Maracanã, chegando com isso a 34 pontos e empatado com o Atlético Mineiro. Com um a menos em boa parte do jogo, o ponto foi bom pelo fato de que o goleiro Felipe ainda salvou o time nos acréscimos de tomar um gol. Veja também:  Nelsinho elogia desempenho do Corinthians após empate  Classificação  Últimos resultados / Próximos jogos Nelsinho Baptista mudou o Corinthians para enfrentar o Fluminense. Deixou Vampeta no banco de reservas e escalou três zagueiros e dois volantes para reforçar a marcação. "Não vamos dar espaço para o adversário", disse o zagueiro Zelão, para quem vitória de "meio a zero" estaria bom. Os corintianos obedeceram seu treinador. O que se viu em campo foi uma equipe aplicada na destruição e pouco inspirada na criação. Os raros momentos de lucidez dos corintianos aconteciam em jogadas de contra-ataque. Passava meia hora de bola rolando e o goleiro carioca Fernando Henrique não havia feito uma defesa. Felipe não. Torceu como nunca para que uma puxada do atacante Cícero não entrasse. Defendeu como sempre uma forte cobrança de Thiago Silva, aos 12 minutos.  FLUMINENSE 1 Fernando Henrique; Rafael   (Soares), Thiago Silva, Luiz Alberto     e Júnior César; Fabinho (Adriano Magrão), Arouca, Davi     (Gabriel) e Cícero; Somália e Alex Dias Técnico: Renato Gaúcho  CORINTHIANS 1 Felipe; Fábio Ferreira, Zelão e Betão; Iran, Moradei (Vampeta), Carlos Alberto, Héverton (Éverton Santos) e Éverton (Amaral); Ailton   e Finazzi Técnico: Nelsinho Baptista Gols: Alex Dias aos 32 e Zelão aos 43 minutos do primeiro tempo Árbitro: Evandro Rogério Roman (PR) Renda: R$ 69.110,00 Público: 5.476 pagantes Estádio: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ) Com paciência, o Fluminense chegou seu ao gol. E não através de um erro de marcação corintiana, mas individual. Sozinho na área, o volante Carlos Alberto (o substituto de Vampeta) não cortou o cruzamento de Somália e o atacante Alex Dias, ex-São Paulo, não perdoou. No Corinthians, Aílton se mostrava lento na armação, Héverton não se entendia como seus companheiros e Finazzi, isolado, não consegui manter a bola em seus pés. O gol de empate corintiano não poderia ter saído de outra forma: na bola parada. Zelão aproveitou cruzamento de Aílton e venceu o goleiro Fernando Henrique. Gol salvador, aos 43 minutos. "Se não dá tocando, a bola parada também decide jogo", disse, no intervalo, zagueiro, que marcou pela terceira vez no Brasileiro. O segundo tempo seguiu como uma reprise do primeiro. Corinthians e Fluminense, duas das equipes que mais empataram no Brasileiro, reproduziam um duelo equilibrado, de intermediária. A situação corintiana tornou-se mais dramática a partir da metade da etapa final por causa da expulsão do meia Aílton, que recebeu cartões amarelo e vermelho por reclamação. Por causa disso, o time recuou e fez o possível para segurar o resultado. Conseguiu, graças às defesas de Felipe, que nos acréscimos chegou a salvar o time de tomar um gol num chute de Adriano Magrão - a bola ainda bateu na trave. O ponto somado ficou de bom tamanho.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.