PUBLICIDADE

Análise|Corinthians passa vergonha contra o Novorizontino no Paulistão e perde a 4ª seguida

Yuri Alberto marca seu primeiro em 2024, mas Jenison anota três e dá vitória aos visitantes em Itaquera

Foto do author Marcos Antomil
Atualização:

O Corinthians não tem solução. Ao menos a curto prazo não há qualquer razão para acreditar que esse time possa dar alegria a seus torcedores. Neste domingo, os comandados de Mano Menezes fizeram uma partida muito ruim diante do Novorizontino, na Neo Química Arena, e tiveram sua quarta - e pior - derrota no Campeonato Paulista até aqui, 3 a 1. O gol de Yuri Alberto, no fim, ajudou a diminuir a má impressão, mas não apaga a atuação fraca.

PUBLICIDADE

Pedro Raul, pouco entrosado, teve uma participação tímida. Yuri Alberto, no segundo tempo, deu melhores sinais. Chamam a atenção as falhas na leitura de jogo dentro de campo e no banco de reservas. A estratégia do Novorizontino foi nítida e espaços poderiam ser anulados, mas o time esteve mais preocupado com o ataque do que com a defesa. Poucos foram os destaques positivos, mas Léo Maná e Matías Rojas mostraram potencial.

Com o resultado, o Corinthians permanece na lanterna do Grupo C, com três pontos. O time alvinegro pode entrar na zona de rebaixamento ainda nessa rodada do Paulistão. O Novorizontino, por sua vez, chega a nove pontos e intensifica a luta pela classificação no Grupo D, ao lado de São Bernardo e Botafogo de Ribeirão Preto.

Corinthians perde para o Novorizontino em Itaquera. Foto: Rebeca Reis/Ag. Paulistão

Primeiro tempo mostra Corinthians assombrado e Novorizontino sagaz

Na escalação inicial, Mano Menezes optou por deixar o criticado Yuri Alberto no banco de reservas, alçando o novo contratado Pedro Raul ao posto de titular no comando do ataque alvinegro. O centroavante, porém, foi pouco acionado no começo da partida. O Corinthians não tomou conta do jogo, que teve muitos duelos físicos, com o Novorizontino explorando o lado direito do ataque.

Pedro Raul se mostrou mais confiante do que seu concorrente pela posição. Em seus poucos toques na bola arrancou suspiros da torcida e pecou pela falta de entrosamento. O atacante costuma ter boas atuações no início de suas passagens pelos clubes. Foi assim no Vasco e no Toluca. A grande dificuldade é sustentar o desempenho a médio e longo prazo.

Pedro Raul teve um primeiro tempo tímido em sua estreia em Itaquera. Foto: Rebeca Reis/Ag. Paulistão

Aos poucos, o Corinthians conseguiu se soltar em campo e encontrar espaços na defesa do Novorizontino. O time visitante ficou preso na defesa e tentou repetidos lançamentos pouco eficazes. Romero e Matheus Araújo tiveram boas oportunidades para abrir o placar. A bola parada, temor corintiano nos últimos jogos, se tornou uma arma neste domingo.

A má fase corintiana, no entanto, faz com que seus adversários tenham mais ânimo e deixa os próprios atletas alvinegros em um tom elevado de preocupação. Essa sensação faz com que as jogadas não saiam como desejado e os atletas e o próprio treinador errem nas escolhas. O Novorizontino deixou bem claro desde o início por onde tentaria o gol, o lado esquerdo da defesa corintiana. Foi por esse lado que saiu o primeiro gol do jogo. Lepo cruzou com perfeição e encontrou Jenison, que cabeceou com categoria para pôr o time do interior na dianteira, aos 47 da etapa inaugural. O atleta não marcava há 354 dias.

Publicidade

Corinthians apaga no segundo tempo e Novorizontino se aproveita

Não houve tempo para analisar o desenho das duas equipes na volta do intervalo. Com três minutos, o Novorizontino marcou mais um. Geovane deixou Rômulo, que desperta interesse do Palmeiras, na cara do gol, ele deu um toque na saída de Cássio e Jenison completou para o fundo do gol.

Com o placar adverso, Mano decidiu mudar a formatação tática do Corinthians, tirando Mosquito e colocando Yuri Alberto para fazer uma dupla de ataque com Pedro Raul. Novamente o impacto imediato não teve tempo hábil para ser verificado. Jenison marcou mais um. Rômulo avançou pela direita, cruzou rasteiro e o atacante apareceu sozinho, sem marcação na pequena área, para marcar mais um, aos 13.

O resultado despertou a ira dos torcedores, que direcionaram xingamentos especialmente à nova diretoria, presidida por Augusto Melo. Mano Menezes também foi alvo. Restando 20 minutos para o fim do jogo, torcedores já começaram a deixar a Neo Química Arena.

Mano decidiu fazer novas alterações, tirou Pedro Raul, colocou Wesley e deixou Yuri Alberto como única referência. Logo que entrou, Wesley acertou o travessão em belo chute, Romero aproveitou o rebote e tocou para Yuri Alberto, que, de cabeça, descontou para o Corinthians, aos 27. Foi o primeiro dele em 2024. A ida para o banco de reserva e a presença de um concorrente pode ter feito a diferença. O Corinthians ainda ensaiou uma pressão na reta final, mas não conseguiu diminuir a vantagem.

CONTiNUA APÓS PUBLICIDADE

O Corinthians tem clássico pela frente. Na quarta-feira, o time vai à Vila Belmiro medir forças com o Santos, às 19h30. O Novorizontino atua no mesmo dia, mas às 21h. Em casa, o time reedita a final caipira de 1990 diante do Red Bull Bragantino.

CORINTHIANS 1 x 3 NOVORIZONTINO

  • CORINTHIANS: Cássio; Fagner (Léo Maná), Félix Torres, Raul Gustavo e Hugo; Raniele (Fausto Vera), Maycon e Matheus Araújo (Matías Rojas); Gustavo Mosquito (Yuri Alberto), Pedro Raul (Wesley) e Ángel Romero. Técnico: Mano Menezes.
  • NOVORIZONTINO: Jordi; Luisão, Renato e Chico; Willean Lepo (Raul Prata), Willian Farias, Marlon (Waguininho) e Danilo Barcelos (Reverson); Rômulo, Isack Gabriel (Geovane) e Jenison (Neto Pessoa). Técnico: Eduardo Baptista.
  • GOLS: Jenison, aos 47 do primeiro tempo, aos 3, aos 13, Yuri Alberto, aos 27 minutos do segundo tempo.
  • ÁRBITRO: Matheus Delgado Candançan.
  • CARTÕES AMARELOS: Rômulo, Willian Farias, Cássio, Léo Maná e Raniele.
  • PÚBLICO: 39.603 presentes.
  • RENDA: R$ 2.343.488,00.
  • LOCAL: Neo Química Arena, em Itaquera.
Análise por Marcos Antomil

São Paulo

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.