Publicidade

Fifa rejeita cartão azul; Ifab confirma substituição extra e outras mudanças no futebol: entenda

Suspensão temporária para jogadores foi deixada de lado em anúncio de novas regras para o esporte; mudanças poderão entrar em vigor a partir de julho

PUBLICIDADE

Por Daniel Brito
Atualização:

Alvo de discussões e polêmicas, o cartão azul não será colocado em prática no futebol. Em sua 138ª assembleia geral anual, realizada na Escócia, a International Football Association Board (IFAB, da sigla em inglês) anunciou neste sábado, dia 2, a introdução de novas regras no esporte e deixou a ideia fora das novidades. A proposta de suspensão temporária para os jogadores também foi descartada pelo presidente da Fifa, Gianni Infantino.

PUBLICIDADE

“Este é um tópico que não existe para nós. A Fifa é completamente contra cartões azuis. Eu não conhecia esse assunto e acho que a Fifa tem uma palavra a dizer. Estamos sempre abertos a olhar ideias e propostas e, claro, tudo tem de ser tratado com respeito. Porém, quando você olha para isso, também precisa proteger a essência e a tradição do jogo. Não existe cartão azul”, declarou o presidente da Fifa antes da assembleia.

Pouco tempo depois da divulgação da proposta pelo jornal inglês The Telegraph, em fevereiro, a entidade máxima do futebol mundial negou, através de nota, o teste do cartão azul para suspensões temporárias em jogos de elite, e afirmou que os testes, caso fossem implementados, seriam feitos “em níveis inferiores”. A Fifa disse ainda que pretendia reiterar a posição na Assembleia Geral da Ifab - o que aconteceu.

Conforme o protocolo divulgado pelo periódico inglês, o cartão azul prevê que os atletas punidos saiam de campo por 10 minutos. A ferramenta poderia ser aplicada em casos de reclamações exageradas com os árbitros e em faltas táticas, que têm objetivo de impedir ataques que podem resultar em gol da equipe adversária. Caso dois cartões azuis fossem recebidos, um vermelho seria dado de forma automática.

Novas regras

Além de rejeitar o cartão azul, a Ifab anunciou outras mudanças para o futebol. Substituições extras e permanentes causadas por concussão cerebral poderão ser realizadas. A medida foi testada na Copa do Mundo do Catar, em 2022, com o objetivo de reduzir danos físicos causados aos atletas durante as partidas. Dessa forma, em caso de suspeita de concussão, as equipes poderão fazer uma mudança sem que ela seja contabilizada no limite padrão de cinco substituições.

Caneleiras e pênaltis

Ainda de acordo com as novas regras aprovadas pela associação, os jogadores são responsáveis pelo tamanho e adequação das caneleiras, que continuam fazendo parte do conjunto obrigatório de equipamentos. Em relação a pênaltis, parte da bola deve tocar ou ultrapassar o centro da marca e a invasão dos jogadores de campo será penalizada apenas se houver impacto.

Confirme a Ifab, infrações de mão que não são cometidas de propósito e para as quais são aplicadas penalidades devem ser tratadas da mesma forma que outras faltas. Por fim, cada equipe deve ter um capitão que use uma braçadeira de identificação. Eles poderão falar mais com os árbitros em detrimento dos outros jogadores, que devem falar menos ou não falar. As regras passam a valer a partir de 1º de julho de 2024.

Publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.