PUBLICIDADE

Publicidade

Flamengo ganha fácil do CRB e avança

Com gols de Gauchinho, Zinho e Diogo, o time carioca venceu o rival alagoano e agora vai enfrentar o Tupi-MG na próxima fase da Copa do Brasil.

PUBLICIDADE

Por Agencia Estado
Atualização:

O Flamengo não teve dificuldades para vencer o CRB-AL por 3 a 1, nesta quarta-feira à noite, no Estadío Giulite Coutinho, na Baixada Fluminense, e se classificou para a segunda fase da Copa do Brasil. Vai agora enfrentar o Tupi, de Minas Gerais. Com a vantagem do empate em até três gols para garantir a vaga - o jogo de ida, em Maceió, terminou 4 a 4 -, o Flamengo entrou em campo disposto a decidir logo a partida. Felipe, a grande atração da equipe, voltou a ser perseguido pelos marcadores. Em 12 minutos, já havia sofrido quatro faltas. O primeiro gol do time carioca surgiu aos 18 minutos, num lance bonito de Zinho, que dominou a bola e a tocou com precisão para Gauchinho. O lateral chutou cruzado no canto direito do goleiro. Aos 41, o Flamengo teve uma falta a seu favor na entrada da área. Ibson deu um toque curto para Zinho, que acertou um belo chute e ampliou o placar. O domínio do Flamengo era total e o CRB passou a errar passes seguidamente, num claro sinal de descontrole. Logo no início do segundo tempo, aos 3 minutos, Gauchinho apareceu novamente com poder de decisão. Ele tirou a bola de um adversário e fez lançamento para o artilheiro Diogo, que só teve o trabalho de completar, marcando o terceiro gol do Flamengo. Com a definição da classificação, o time dirigido por Abel Braga resolveu diminuir o ritmo. Por descuido de Henrique, que atrasou mal uma bola para Júlio César, o Flamengo sofreu o único gol da partida, assinalado por Marcinho, aos 7 minutos. Ciente de que precisaria poupar alguns titulares para a decisão da Taça Guanabara, sábado, contra o Fluminense, Abel Braga substituiu os mais importantes jogadores da equipe. Felipe, Jean e Zinho assistiram ao final do jogo do banco de reservas.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.