PUBLICIDADE

São Paulo faz jogo hostil com o Fluminense e perde outra fora de casa pelo Brasileirão

Partida repleta de cartões e desavenças no Maracanã destoa de clima amistoso proposto por troca de faixas entre campeões da temporada

Foto do author Marcos Antomil
Por Marcos Antomil
Atualização:

Ganhar fora de casa nesta edição do Campeonato Brasileiro é uma barreira intransponível para o São Paulo. Nesta quarta-feira, em jogo adiado da 32ª rodada do torneio nacional, o time de Dorival Junior, bastante desfalcado, teve de lidar com a expulsão de Gabriel Neves ainda no primeiro tempo e não suportou a eficácia de Germán Cano. O argentino marcou o gol da vitória do Fluminense, por 1 a 0, no Maracanã, e trouxe alívio para o técnico Fernando Diniz, que, no dia anterior, perdeu no mesmo palco para a Argentina, no comando da seleção brasileira.

PUBLICIDADE

Com o resultado, o Fluminense fica na oitava colocação, com 50 pontos. O São Paulo, por sua vez, ocupa a 10ª posição, com 46. Restam quatro jogos para o término do Brasileirão, e o conjunto paulista ainda terá duas chances (diante de Bahia e Atlético-MG) para romper o tabu e vencer a primeira fora de casa.

O São Paulo atua novamente no domingo, às 18h30, diante do Cuiabá, no Morumbi. O Fluminense também tem compromisso em casa. No sábado, às 21h, mede forças com o já rebaixado Coritiba no Maracanã.

Jogadores de Fluminense e São Paulo trocam faixas de campeão da Libertadores e Copa do Brasil, respectivamente. Foto: Pedro Kirilos/ Estadão

O clima amistoso arquitetado pela troca de faixas de campeão da Libertadores e da Copa do Brasil deu lugar a um jogo hostil logo nos primeiros minutos do duelo no Maracanã. O Fluminense gerou as melhores chances, mas o São Paulo ainda buscou equilibrar a partida.

Os desentendimentos dentro de campo, porém, ditaram o tom da partida. A arbitragem do mineiro André Luiz Skettino produziu diversas reclamações dos dois lados. Aos 28 minutos, uma entrada faltosa de Gabriel Neves sobre Thiago Santos provocou intervenção do VAR. Após consultar o monitor, o juiz decidiu expulsar o uruguaio.

Apesar da inferioridade numérica, o São Paulo sustentou o panorama e passou a explorar com mais velocidade os contragolpes cedidos pelo Fluminense. A equipe mandante ainda criou algumas chances de gol, mas nada que levasse Rafael a fazer grandes defesas na meta são-paulino.

Até mesmo após o fim do primeiro tempo, a irritação continuou predominando. Jogadores de Fluminense e São Paulo discutiram na saída de campo, e o técnico Dorival Junior foi tirar satisfação com a equipe de arbitragem. Ao todo, foram distribuídos oito cartões na etapa inicial, um recorde nesta edição do Campeonato Brasileiro.

Publicidade

Fernando Diniz e Dorival Junior ganharam as duas últimas edições da Libertadores. Foto: Pedro Kirilos/ Estadão

Na volta do intervalo, Diniz tirou o zagueiro David Braz e colocou o atacante Lelê para projetar os donos da casa ao setor ofensivo, deixando sua equipe sem defensores de origem. O Fluminense precisou contar com a sorte para inaugurar o placar, aos 9 minutos. O argentino Germán Cano arriscou de fora da área, a bola desviou em Rafinha e se tornou indefensável para Rafael.

Germán Cano marcou o gol solitário do triunfo do time das Laranjeiras no Maracanã. Foto: Pedro Kirilos/ Estadão

À frente no marcador, o Fluminense diminuiu a pressão e se sentiu mais à vontade. González quase marcou o segundo, mas parou no arqueiro são-paulino. Apesar da festa nas arquibancadas, o choro de Samuel Xavier após sentir uma lesão no joelho causou consternação no banco de reservas. O lateral foi substituído e se torna dúvida para o Mundial de Clubes, cuja estreia carioca está programada para 18 de dezembro.

Fluminense e São Paulo ficaram devendo futebol. Os visitantes, diante dos complicadores conhecidos antes mesmo de a bola rolar, não tiveram muito o que fazer senão apostar em brechas, que, quando apareceram, foram desperdiçadas. Já os comandados de Diniz poderiam mostrar mais, principalmente diante de uma superioridade numérica.

Nos últimos minutos, o São Paulo se arriscou mais e trouxe preocupações para o Fluminense. A postura são-paulina gerou expectativas positivas, especialmente pela atuação de atletas pouco utilizados e oriundos das categorias de base, como Talles Costa, Talles Wander, Nathan e William Gomes. Apesar da vontade, não foi possível furar o bloqueio carioca, e o placar se manteve até o apito final.

CONTiNUA APÓS PUBLICIDADE

Fluminense 1 x 0 São Paulo - 32ª rodada do Brasileirão 2023

  • FLUMINENSE: Fábio; Samuel Xavier (Guga), David Braz (Lelê), Thiago Santos (Diogo Barbosa) e Marcelo (André); Martinelli, Alexsander, Lima e PH Ganso; Yony González (Leo Fernández) e Germán Cano. Técnico: Fernando Diniz.
  • SÃO PAULO: Rafael; Rafinha, Diego Costa, Lucas Beraldo e Welington; Gabriel Neves, Pablo Maia (Talles Wander) e Alisson (Talles Costa); Luciano (Erison), Juan (William Gomes) e David (Nathan). Técnico: Dorival Junior.
  • GOL: Cano, aos 9 minutos do segundo tempo.
  • ÁRBITRO: André Luiz Skettino Policarpo Bento (MG).
  • CARTÕES AMARELOS: Martinelli, Alexsander, Marcelo, Ganso, Cano, Guga, Rafinha, Diego Costa, David, Nathan Mendes e Beraldo.
  • CARTÃO VERMELHO: Gabriel Neves.
  • PÚBLICO: 44.694 presentes.
  • RENDA: R$ 1.659.302,00.
  • LOCAL: Estádio do Maracanã, no Rio.
Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.