PUBLICIDADE

Publicidade

Galvão Bueno avisa que vai se despedir da narração esportiva e vê Copa do Catar como última

Narrador vai deixar de ter vínculo fixo com a emissora após 41 anos; atual contrato se encerra em dezembro

PUBLICIDADE

Foto do author Redação
Por Redação
Atualização:

Galvão Bueno está de saída da narração da Globo. A Copa do Mundo do Catar vai marcar a despedida do narrador, que deixa de ter vínculo fixo com a emissora em dezembro, após 41 anos no canal. 

“Eu me realizei como profissional nesses 41 anos na Globo. Foram emoções fortíssimas. Estarei com a seleção brasileira e com o futebol até o dia 18 de dezembro. Depois, vira-se uma página e o livro continua. Pretendo mergulhar de cabeça no mundo digital, estamos falando sobre possibilidades em outras plataformas. A Globo é minha casa”

Galvão Bueno está de saída da Globo e Copa do Mundo será despedida Foto: Divulgação/TV Globo

PUBLICIDADE

A informação da possível saída de Galvão Bueno da Globo pegou de surpresa não só os fãs de esporte, mas como também funcionários da emissora. À tarde, a Globo confirmou 0 fim do contrato com o narrador de 71 anos. 

“Galvão é um gênio da comunicação, que reinventou a função de um narrador nas transmissões esportivas. Haverá pra sempre na história da TV brasileira o antes e o depois de Galvão. Juntos, estamos preparando uma despedida à altura da história dele na Copa do Catar. Será inesquecível para o Galvão e para o público”, afirma Renato Ribeiro, Diretor do Esporte da Globo.

Na tarde desta quinta-feira, 24, Galvão Bueno foi às redes sociais anunciar que a partida entre Brasil e Chile, pelas Eliminatórias da Copa, será a sua última transmissão com a seleção brasileira no Maracanã. A partida acontece às 20h30. 

"Jogo de despedidas. Último jogo da Seleção no Brasil antes da Copa! Último jogo de Tite no Brasil como técnico da Seleção! Meu último jogo da Seleção no Maracanã em televisão". 

Dono de uma das vozes mais marcantes da narração esportiva, Galvão Bueno ganhou notoriedade como o narrador oficial da seleção brasileira na Globo, participando da cobertura do tetracampeonato mundial, em 1994, e do penta, em 2002. Versátil, ficou conhecido por narrar as vitórias do Ayrton Senna na Fórmula 1 e, mais recentemente, foi a voz do ouro de Rebeca Andrade na Olimpíada de Tóquio. 

Publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.