PUBLICIDADE

Publicidade

Gatito diz ainda sentir dores e se emociona ao falar de recuperação

Goleiro ainda não sabe quando vai voltar ao gol do Botafogo

PUBLICIDADE

Foto do author Redação
Por Redação

Já são quase seis meses afastado dos gramados, e Gatito Fernández ainda não sabe quando terá condições de atuar novamente. Nesta sexta-feira, o goleiro paraguaio concedeu entrevista coletiva para falar sobre a recuperação no Botafogo e se emocionou ao admitir que ainda sente dores no punho lesionado.

"Estou passando por um processo um pouco complicado, sempre com um pouco de dor no punho que tive a lesão em abril. Estou treinando sempre, como vocês podem ver, quase sempre em separado com o preparador de goleiros. Sempre treino com dor, algumas vezes menor, e assim posso treinar com o grupo, mas quando a dor é mais forte eu volto a treinar com o treinador de goleiros", declarou.

Gatito, goleiro do Botafogo Foto: Vitor Silva/SsPress

PUBLICIDADE

Gatito sofreu a lesão no punho direito no confronto diante do Sport, no dia 23 de abril. Nas últimas semanas, voltou a treinar, mas as fortes dores ainda não permitiram que ele entrasse em campo. O longo processo e a incerteza sobre o retorno incomodam bastante o goleiro.

"Estou muito ansioso, e muitas vezes fico muito decepcionado comigo mesmo, quero fazer tudo, treinar, jogar, mas não consigo. Treinei cinco vezes com o grupo depois do jogo contra o Vitória, o que já foi um ganho muito grande, mas com esse acúmulo de treinos eu senti dores fortes novamente", explicou.

Diante do longo afastamento, Gatito passou a receber mensagens de torcedores, questionando-o sobre sua situação. Até por isso, o goleiro quis se pronunciar nesta sexta e agradecer o apoio dos botafoguenses. Mas ao comentar sobre o assunto, ele não segurou a emoção.

"A mensagem que posso mandar aos torcedores é de agradecimento pelas mensagens que mandam para mim, dizer que gostaria de estar jogando pelo Botafogo, um time que me abriu a porta e os torcedores abriram o coração, mas infelizmente não estou conseguindo. Estou dando tudo de mim, mas não estou conseguindo melhorar", lamentou.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.