PUBLICIDADE

Publicidade

Hansi Flick no Barcelona: técnico plantou sucesso no Bayern e colheu fracasso na seleção alemã

Novo treinador da equipe catalã ganhou a Champions League com os bávaros, mas foi eliminado na fase de grupos da Copa do Mundo com os tetracampeões

PUBLICIDADE

Foto do author Redação
Por Redação
Atualização:

O Barcelona anunciou, nesta quarta-feira, Hans-Dieter Flick, de 59 anos, como novo treinador da equipe. Ele assinou um vínculo de duas temporadas. O clube oficializou ainda a rescisão de contrato do ex-comandante Xavi, que cumpriu sua última partida do banco de reservas no final de semana na vitória sobre o Sevilla pela última rodada do Campeonato Espanhol.

O site oficial estampou uma foto do seu novo técnico já com um agasalho do clube. No texto de apresentação de Hansi Flick, a agremiação destaca o estilo de trabalho de seu novo contratado: “O Barcelona escolheu um homem conhecido pela alta pressão, estilo de jogo intenso e ousado das suas equipes”, diz parte do texto.

Hansi Flick foi eliminado com a Alemanha ainda na fase de grupos da Copa de 2022. Foto: Luca Bruno/AP

PUBLICIDADE

As primeiras palavras do alemão de 59 anos, em sua nova função, foram divulgadas em um vídeo pelo clube. “Culers, é o nosso momento. Força Barça”! A apresentação oficial ainda não tem data definida.

Alvo do clube desde 2021, Flick conta com a admiração do presidente Joan Laporta. A primeira missão do treinador é recolocar a equipe no caminho das conquistas de títulos de expressão após uma temporada sem troféus sob o comando de Xavi.

Com contrato até o dia 30 de junho, o comandante já está em contato com o ex-jogador luso-brasileiro Deco, que ocupa a função de diretor esportivo. Essa aproximação vai possibilitar ao treinador o ajuste do elenco, os prováveis reforços e ainda quem pode deixar o clube.

Flick no Bayern e na seleção alemã

O seu trabalho mais marcante como profissional foi no período em que comandou o Bayern de Munique, entre os anos de 2019 e 2021. Entre os títulos mais importantes, ele ganhou um Mundial de Clubes, uma Champions League e ainda dois Campeonatos Alemães. O bom desempenho com o Bayern de Munique fez com que Flick se tornasse o nome mais forte para substituir o vencedor - mas em fase decadente - Joachim Löw do comando da seleção da Alemanha.

Flick fez parte da comissão técnica alemã que começou uma reconstrução a partir da Copa do Mundo de 2006. Foi auxiliar de Löw até a conquista do Mundial de 2014, no Brasil. Depois, assumiu um cargo na diretoria da seleção. Portanto, uma aposta em Flick não seria uma mudança completa e daria prosseguimento à ideia que a Alemanha apresentou anos por mais de uma década.

Publicidade

No Bayern, Flick também começou como auxiliar de Niko Kovac e o substituiu no fim de 2019. Os títulos e o estilo de jogo convincente o impulsionaram. Uma goleada por 8 a 2, em agosto de 2020, sobre o Barcelona marcou essa trajetória.

Jogadores do Bayern comemoram com o Hansi Flick a conquista de mais um título. Foto: Robert Michael/Reuters

Quando retornou à seleção alemã, após a Eurocopa disputada em 2021, enfileirou bons resultados e classificou a Alemanha com tranquilidade para a Copa do Mundo. A equipe sofreu apenas uma derrota durante as Eliminatórias.

Na Copa do Catar, a expectativa era boa diante de uma chave que parecia simples, com Espanha, Japão e Costa Rica. As duas seleções europeias eram claras favoritas, mas a zebra se voltou contra os alemães: derrota para os japoneses, empate com os espanhóis e vitória sobre a Costa Rica. Placares que eliminaram pela segunda vez seguida a seleção tetracampeã na fase de grupos do Mundial.

Ainda assim, Flick continuou no comando da seleção após a Copa. Em seis amistosos, porém, houve apenas uma vitória. A sequência negativa culminou em uma demissão no meio de uma Data Fifa após uma goleada sofrida, de novo, para o Japão. O resultado de 4 a 1 determinou a queda de Flick, em setembro de 2023, que desde então estava desempregado.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.