PUBLICIDADE

Justiça francesa investiga possíveis vantagens fiscais ao PSG na contratação de Neymar

Relatório é resultado de trocas de mensagens ao longo de dez anos encontradas no telefone do ex-diretor de comunicação da equipe de Paris

Foto do author Redação
Por Redação

A justiça francesa investiga se um ex-presidente da Assembleia Nacional tentou obter do governo vantagens fiscais para o Paris Saint-Germain quando o clube contratou Neymar em 2017, informaram à AFP fontes próximas ao caso, confirmando uma informação do jornal Libération.

PUBLICIDADE

Em um relatório enviado em 21 de novembro a um magistrado de instrução, ao qual a AFP teve acesso, os investigadores se perguntam sobre um possível caso de “tráfico de influência” que envolveria Hugues Renson, ex-deputado do partido do presidente Emmanuel Macron e ex-vice-presidente da Assembleia Nacional Francesa.

O relatório é resultado de trocas de mensagens ao longo de dez anos encontradas no telefone do ex-diretor de comunicação do PSG Jean-Martial Ribes, que teria “solicitado de maneira inequívoca” os serviços de Renson, deputado por Paris (2017-2022) e que também foi conselheiro do ex-presidente francês Jacques Chirac.

A photo shows the PSG logo as rain falls during the French Champions' Trophy (Trophee des Champions) football match between Paris Saint-Germain (PSG) and Toulouse FC at the Parc des Princes stadium in Paris on January 3, 2024. (Photo by FRANCK FIFE / AFP) Foto: Franck Fife / AFP

Em troca, Renson, que agora trabalha para a companhia de energia elétrica EDF, “se beneficiou de inúmeros ingressos para jogos” do PSG, além de outras vantagens, durante o período em que foi deputado.

Fontes próximas ao caso garantiram que a investigação sobre as condições de fiscalização da cláusula de Neymar está em sua fase inicial.

Nenhuma das partes citadas respondeu aos contatos da reportagem. / AFP

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.