PUBLICIDADE

Publicidade

Palmeiras dá ‘chapéu’ na Juventus e fecha com Felipe Anderson; veja bastidores do acerto

Ex-Santos e com passagem pela seleção, meia-atacante de 31 anos voltará ao futebol brasileiro após 11 temporadas na Europa e vai se apresentar ao atual campeão brasileiro em julho

Foto do author Ricardo Magatti
Foto do author Bruno Accorsi
Por Ricardo Magatti e Bruno Accorsi
Atualização:

O Palmeiras surpreendeu e acertou, nesta segunda-feira, a contratação do meia-atacante Felipe Anderson, que atua no futebol europeu há 11 temporadas. O brasileiro defende a Lazio, da Itália, e vai se apresentar ao time alviverde em julho, após a abertura da janela internacional de transferências. Ele já assinou um pré-contrato. Seu vínculo com o atual campeão brasileiro começa no dia 1º de julho e será válido até 31 de zembro de 2026.

PUBLICIDADE

A contratação vem para acalmar a torcida alviverde, que, mesmo com o recente título do Paulistão e a conquista do Brasileirão no ano passado, cobrava reforços da diretoria. A chegada do novo contratado vai coincidir com a saída de Endrick, principal estrela palmeirense, que completa 18 anos em julho e trocará o clube palmeirense pelo Real Madrid, ao qual está vendido desde 2022.

Felipe Anderson recebeu propostas mais vantajosas financeiramente em comparação com a do Palmeiras. Ele recusou renovar com a Lazio e também rejeitou uma oferta da gigante Juventus. O atleta escolheu um clube alviverde pela maneira como foi conduzida a negociação, no sigilo, pela estrutura do clube paulista e pelo projeto que lhe foi apresentado.

Bastidores da negociação

Gerente jurídico e de negócios do Palmeiras, Leonardo Holanda foi o responsável pelo acordo. O profissional, que passou a cuidar das negociações depois da saída de Cícero Souza para a CBF, foi duas vezes à Itália para conversar com o atleta. O processo discreto, sem vazamentos, agradou Felipe Anderson, que foi convencido de que seria benéfico a ele retornar ao futebol brasileiro.

Felipe Anderson fechou com o Palmeiras e voltará ao Brasil após 11 temporadas na Europa Foto: Maurizio Brambatti/EFE

Em seu auge técnico e físico, o meia-atacante considerou que, jogando bem no Brasil, são maiores as suas chances de voltar à seleção brasileira. No ano que vem o Palmeiras disputará o novo Mundial de Clubes da Fifa e estará na vitrine do futebol mundial. O torneio internacional também pesou na decisão do jogador.

Revelado pelo Santos, o atleta estreou profissionalmente em 2010, aos 17 anos, e ganhou destaque em 2012, quando fez seis gols e deu oito assistências em 41 partidas. No time da Baixada, jogou ao lado de Neymar e Paulo Henrique Ganso e fez parte do elenco bicampeão paulista em 2011 e 2012, da Copa Libertadores de 2011 e da Recopa Sul-Americana de 2012.

Carreira

Natural de Brasília (DF), Felipe Anderson, depois do bom desempenho com a camisa do Santos, despertou o interesse da Lazio, equipe para a qual se transferiu em 2013. Virou titular na temporada seguinte (2014/2015), ao fazer 37 duelos, marcar 11 gols e dar 10 assistências.

Publicidade

Em 2015/16, seguiu como protagonista e esteve em 47 confrontos. Foram nove bolas na rede e cinco passes para gol. Também teve números interessantes nos anos seguintes, o que lhe rendeu convocações para a seleção brasileira, além da inédita medalha olímpica de ouro nos Jogos Rio-2016.

Felipe Anderson foi vendido ao West Ham, da Inglaterra em 2018. Em duas temporadas na Premier League, conseguiu números interessantes ao marcar 12 gols e dar 14 assistências em 73 jogos. Da Inglaterra, se transferiu para Portugal, onde foi defender o Porto, mas lá teve passagem apagada e curta. Atuou em apenas dez duelos e se despediu do futebol português sem gols.

Retornou à Lazio em 2021 para dar continuidade à história no clube, no qual tem relevante passagem, com um total de 319 partidas disputadas até aqui – são 58 gols e 63 assistências e um título, o da Supertaça da Itália alcançado na temporada 2017/18.

O meia-atacante bateu, recentemente, o recorde de partidas seguidas pela Lazio, que antes pertencia ao zagueiro Alfredo Monza, com 124 jogos em sequência no fim da década de 1930. Atualmente, o brasileiro soma 144 confrontos consecutivos pelo time de Roma.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.