PUBLICIDADE

Publicidade

Passaportes: Justiça absolve Cafu

PUBLICIDADE

Por Agencia Estado
Atualização:

O lateral-direito Cafu foi absolvido hoje da acusação de ter falsificado documentos para conseguir um passaporte italiano e com isso não ocupar vaga de jogador estrangeiro na Roma. O juiz Claudio Tortora argumentou que não havia provas de que o brasileiro tinha agido de má fé nem que tivesse conhecimento de que os documentos não eram autênticos. Também foram absolvidos o presidente da Roma, Franco Sensi, e a mulher de Cafu, Regina Feliciano. O próximo jogador a ser julgado pelo juiz Claudio Tortora será o argentino Verón, acusado de ter utilizado um passaporte falso para obter a cidadania italiano quando jogava pela Lazio. Luciano - O meia-campista do Chievo estará livre para jogar a partir de sexta-feira, quando terminará a suspensão que recebeu por ter utilizado documentos falsos - dizia chamar-se Eriberto e ter 23 anos, mas na verdade tem 27 -, mas corre o risco de ser impedido de jogar domingo contra o Perugia. O problema é que o Chievo deve ao Bologna 6 milhões de euros pela transferência. O clube quer uma redução no valor, alegando que o preço anterior tinha sido fixado para um jogador de 23 anos. Se não houver acordo até domingo, Luciano não poderá jogar.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.