PUBLICIDADE

Rueda pede perdão à torcida do Santos dois dias depois do rebaixamento do clube para a Série B

Presidente santista admite ‘fracasso esportivo’ e solicita que eleições, que acontecem neste sábado, sejam pacíficas

Foto do author Redação
Por Redação
Atualização:

Dois dias depois do primeiro rebaixamento da história do Santos, o presidente Andres Rueda finalmente fez um pronunciamento. Em um vídeo divulgado pelos canais do clube, na noite de sexta-feira, dia 8, o mandatário pediu desculpas à torcida e admitiu que a temporada foi um “fracasso esportivo”. Rueda também mencionou as eleições presidenciais do Santos, que acontecem neste sábado, solicitando por um pleito pacífico, após atos violentos de torcedores no pós-jogo do rebaixamento.

PUBLICIDADE

Na mensagem, o presidente santista diz estar arrasado e que não há justificativa para o desempenho em campo. “Em nome da gestão, quero pedir perdão a vocês, do fundo do meu coração. Errei. Estou completamente arrasado por este capítulo triste na história do clube. E essa dor vai me acompanhar para sempre. As dificuldades financeiras que passamos não justificam o fracasso esportivo que tivemos”, admitiu Rueda.

Porém, na sequência, o presidente menciona os problemas de gestão como um fator que dividiu atenção com o futebol. “Tentamos acertar e nos dedicamos dia e noite, mas os desafios administrativos e financeiros dividiram nossas forças. Ninguém jamais pensaria em um resultado como esse, que trouxe tanta tristeza a todos os santistas”.

Santos teve o rebaixamento confirmado na última rodada, quando dependia apenas de si, mas perdeu para o Fortaleza. Foto: Raul Baretta/Santos FC

“Novamente peço desculpas, na expectativa de que o Santos recupere sua força e o apoio da sua torcida, que não abandonou o time nos momentos mais difíceis e certamente mostrará o amor incondicional onde e como o Santos estiver”, concluiu.

Após atos violentos, pedido por paz na eleição

Neste sábado, o clube define o novo presidente. O cenário é de tensão, já que atos violentos marcaram o pós-jogo do rebaixamento na quarta-feira. Segundo a Secretaria de Segurança de São Paulo (SSP), durante a ação, 11 policiais foram feridos e duas viaturas, danificadas. Seis ônibus e quatro automóveis foram incendiados pelos torcedores, que também avançaram contra os policiais, arremessando garrafas, pedras e fogos de artifício. Ninguém foi preso.

Alexandre Gallo, coordenador técnico do clube, concedeu coletiva depois do jogo. Sem ter sua permanência garantida para 2024, que depende do candidato que será eleito neste sábado, o dirigente revelou ter descoberto “muita coisa errada” internamente, mas não quis contar em detalhes.

Rueda aproveitou o pedido de desculpas publicado na sexta-feira para suplicar por paz durante as eleições. “Peço encarecidamente que votem neste sábado para a escolha do novo presidente do clube de forma ordeira e pacífica, para que o clube tenha mudanças e retorne ao lugar de direito e a dias melhores”, disse.

Publicidade

Marcelo Teixeira, Ricardo Agostinho, Wladimir Mattos, Rodrigo Marino e Maurício Maruca disputam a preferência de quase 17 mil sócios santistas. O vencedor terá o desafio de comandar o Santos na Série B do Campeonato Brasileiro pela primeira vez. Além disso, o clube terá apenas a disputa do Paulistão, já que ficou de fora da Copa do Brasil.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.