PUBLICIDADE

Publicidade

São Paulo admite vender seus craques

PUBLICIDADE

Por Agencia Estado
Atualização:

O mesmo presidente que garante comandar o melhor elenco do Brasil manda um aviso aos torcedores do São Paulo: se a economia do clube não melhorar, será preciso desfazer-se de um dos destaques do time. ?E durante o campeonato, nem dá para esperar o final?, diz Marcelo Portugal Gouvêa. O presidente do clube do Morumbi afirma estar agindo para que a situação-limite não aconteça. ?A dispensa de Leandro e de outros jogadores e a diminuição do salário do Adriano fazem parte deste projeto.? A meta é diminuir a folha salarial do futebol em R$ 500 mil mensais. ?Nosso orçamento é de R$ 70 milhões por ano, praticamente R$ 6 milhões por mês. Se diminuirmos R$ 500 mil mensais, vamos ter uma economia próxima a 10%, o que já vai ajudar bastante.? A decisão causou certo mal-estar com Oswaldo de Oliveira, que viu diminuídas suas opções para o banco de reservas. Gouvêa não muda de opinião e pede para que se acredite nos juniores. Reserva no São Paulo não vai ganhar mais de R$ 40 mil mensais. A troca do Torneio Rio-São Paulo pelo Campeonato Paulista foi um dos motivos a levar o São Paulo a ?apertar o cinto?. Muito dinheiro foi perdido. ?Ano passado, chegamos à final do Rio-São Paulo e arrecadamos R$ 7,5 milhões. Esse ano, com o Campeonato Paulista, a previsão é de arrecadarmos R$1,5 milhão?, diz o presidente. Estão aí os R$ 6 milhões que se pretende recuperar arrochando os salários. ?Votei contra a mudança de campeonato, queria continuar com o Rio-São Paulo, mas perdi. Agora, estamos vendo a Liga Sul-Minas entrando na Justiça para manter o regional, que realmente dá mais dinheiro?, dia Gouvêa. Ele aponta a grande dependência financeira dos clubes em relação à televisão como um dos motivos da má situação dos clubes. ?Metade da nossa receita vem das transmissões dos campeonatos. E como a Rede Globo está com problemas financeiros, vamos receber por um campeonato de oito meses menos do que recebemos no ano passado por um de cinco meses. É uma situação complicada. Se eu não lutasse contra, seria omisso.? O São Paulo está tentando também conseguir arrecadações alternativas para melhorar a situação financeira. Tem um projeto de novo placar eletrônico - marcado inicialmente para 25 de janeiro, foi adiado - e planeja novos usos para o Morumbi. ?Queremos transformá-lo em uma arena multiuso, com camarotes e praça de alimentação. Não gastaríamos nada e teríamos mais lucros?, diz o presidente. Ele gostaria que o time tivesse uma terceira camisa - o que sempre rende mais dinheiro -, mas não consegue impor sua idéia no Conselho. ?Somos um clube muito conservador, a camisa é sagrada.? O time viajou nesta segunda-feira para Águas de Lindóia, onde fará a fase final da preparação para o Paulista. No coletivo desta segunda-feira, Régis manteve a posição de titular, mesmo com a volta de Ameli, que não estava treinando nos últimos dias. Continua difícil o aproveitamento de Reinaldo, que teve rompidos ligamentos no tornozelo direito. Aílton, um dos juniores em que Oswaldo aposta, também está contundido e não participará do jogo. Mesmo que o Brasil não se classifique para a segunda fase do torneio do Catar - a decisão será nesta quarta-feira - Kaká, Júlio Baptista e Júlio Santos não voltarão a tempo de jogar. Assim, no banco de reservas, estarão jogadores como Gallo, Paulo Krauss e Marcão, revelações de juniores, próprias para o momento de contenção salarial que o time está vivendo.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.