PUBLICIDADE

Análise|São Paulo derrota o Água Santa com reservas no Paulistão em noite de arbitragem controversa

Suplentes da equipe tricolor cumprem a missão e conquistam vitória confortável com direito a golaço de Bobadilla

Foto do author Marcos Antomil
Atualização:

Poupando titulares após a conquista da Supercopa Rei, o São Paulo voltou suas atenções para o Campeonato Paulista e bateu o Água Santa pela 6ª rodada, no MorumBis, por 3 a 0. Um golaço de Bobadilla e o desempenho contestado do árbitro Raphael Claus pautaram o jogo.

O time tricolor teve atuação pouco atraente na maior parte da partida. A abertura do placar no começo do jogo acomodou a equipe. Na reta final do segundo tempo, o São Paulo encontrou dois gols com Juan e Alan Franco. Moreira, que já havia se destacado no clássico com o Palmeiras, foi muito bem novamente. No geral, a maioria dos reservas perdeu uma oportunidade de mostrar serviço. Missão cumprida pela vitória e o placar expressivo. No entanto, há de se reconhecer que os suplentes poderiam mostrar mais e as decisões da arbitragem prejudicaram o andamento da partida.

Bobadilla anota golaço e abre caminho para vitória suave do São Paulo no MorumBis. Foto: Mauro Horita/Ag. Paulistão

O São Paulo lidera o Grupo D do Paulistão, com 13 pontos, e é seguido de perto pelo São Bernardo, que tem 11. O time tricolor tem a segunda melhor campanha na classificação geral. O Água Santa aparece no terceiro lugar do Grupo B, com sete pontos.

Gol cedo deixa jogo sonolento

Os reservas do São Paulo começaram a partida elétricos. Sem deixar o Água Santa respirar, deixaram a defesa do time de Diadema confusa a ponto de Igor Henrique errar na saída de bola e entregar um presente para Bobadilla. O paraguaio marcou um golaço com um chute preciso, no ângulo, aos nove minutos.

À vontade em campo, o São Paulo diminuiu o ritmo. Espaçado, passou a controlar o jogo, lidando com a falta de qualidade técnica do adversário. O Água Santa não teve armas capazes de ferir o São Paulo na etapa inaugural. Jandrei pouco se movimentou. A energia que parecia em alta nos primeiros minutos transformou a partida em um jogo sonolento.

São Paulo e Água Santa se enfrentaram nesta quarta-feira no MorumBis. Foto: Mauro Horita/Ag. Paulistão

O primeiro tempo provocou um misto de conformismo e decepção. Há de se entender que o placar gere conforto, mas é óbvio que os reservas têm de mostrar que são capazes de lutar pela titularidade. E não mostraram. Galoppo, Luiz Gustavo, Moreira e Bobadilla - pelo gol - foram os destaques, mas não revelaram nada de especial.

Arbitragem protagoniza segundo tempo

PUBLICIDADE

No retorno do intervalo, o Água Santa se mostrou mais desperto e pressionou o São Paulo. A nova postura do time de Diadema surtiu efeito, mas uma ação precipitada do árbitro prejudicou os visitantes. Jandrei cometeu pênalti em Luan Dias. Na sequência do lance, Bruno Xavier fez o gol, mas Claus já havia apitado. Na cobrança, Mezenga bateu e perdeu.

Pouco depois, foi a vez de o São Paulo ter um pênalti a seu favor marcado por Claus. Jhonnathan bloqueou um chute de Luiz Gustavo com a coxa e depois o braço. O VAR chamou o árbitro, que observou o lance e decidiu anular a marcação.

Apesar da tensão pelas decisões controversas da arbitragem, o jogo esfriou. O cenário ficou novamente equilibrado, favorecendo o São Paulo. Moreira, um dos melhores em campo, acertou um cruzamento na medida para Juan, que havia entrado no lugar de Ferreirinha. O atacante cabeceou bem e ampliou a vantagem tricolor no placar, aos 32 minutos.

Aos 42, Alan Franco guardou o seu. Em cobrança de falta, o zagueiro subiu mais alto que os zagueiros na primeira trave e cabeceou para o gol. Indefensável para o goleiro do Água Santa, dando números finais ao jogo.

Próximos jogos de São Paulo e Água Santa

O São Paulo retorna aos gramados no sábado, às 18h, no Estádio Moisés Lucarelli, para medir forças com a Ponte Preta. Já o Água Santa atua no mesmo horário, mas no domingo. O adversário será o Ituano, no Canindé.

CONTiNUA APÓS PUBLICIDADE

SÃO PAULO 3 x 0 ÁGUA SANTA

  • SÃO PAULO: Jandrei; Moreira, Alan Franco, Ferraresi e Patryck (Welington); Luiz Gustavo, Bobadilla e Alisson (Nikão); Galoppo (Luciano), Erick (William Gomes) e Ferreirinha (Juan). Técnico: Thiago Carpini.
  • ÁGUA SANTA: Ygor Vinhas; Alex Silva, Wálber, Jhonnathan e Gabriel Inocêncio; Igor Henrique, Keké (Oller) e Thiaguinho (Cristiano); Bruno Xavier (Jael), Luan Dias e Bruno Mezenga (Todinho). Técnico: Bruno Pivetti.
  • GOLS: Bobadilla, aos 9 minutos do primeiro tempo; Juan, aos 32, Alan Franco aos 42 minutos do segundo tempo.
  • ÁRBITRO: Raphael Claus.
  • CARTÃO AMARELO: Alisson.
  • PÚBLICO: 36.456 presentes.
  • RENDA: R$ 1.422.649,00.
  • LOCAL: MorumBis.
Análise por Marcos Antomil

São Paulo

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.