PUBLICIDADE

Publicidade

Sucesso palmeirense no Brasileirão passa por Martinez

Equipe não perde desde que o técnico Luxemburgo passou a escalar volante como 'falso zagueiro'

PUBLICIDADE

Por Agência Estado
Atualização:

O Palmeiras não perdeu desde que Vanderlei Luxemburgo passou a escalar o volante Martinez como um "falso terceiro zagueiro" - tem liberdade para avançar com a bola no pé, mas se posiciona como beque quando o time é atacado. Veja também: Ingressos para clássico paulista estarão à venda nesta terça  Traffic faz acordo para gerenciar área comercial da arena  Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão Já são nove jogos sem derrota com o camisa 11 nessa função. Foram seis vitórias (Atlético Paranaense, Vasco na Sul-Americana e depois no Brasileiro, Cruzeiro, Áncash e Atlético Mineiro) e três empates (Áncash, Náutico e Figueirense). Martinez passou a atuar nessa função no dia 31 de agosto, na vitória de 2 a 1 sobre o Atlético Paranaense, na Arena da Baixada. De lá para cá, o Palmeiras só foi derrotado pelo Sport (3 a 0), no Palestra, mas, suspenso, o volante não estava em campo. Além da série invicta, o número de gols sofridos caiu consideravelmente. Antes de Luxemburgo adotar esse esquema, o Palmeiras tinha a defesa mais vazada dentre os dez primeiros colocados do Brasileiro e convivia com a desconfiança da torcida em relação ao "caos aéreo" - os muitos gols em jogadas de bola pelo alto. Com Martinez na defesa, o time sofreu apenas um gol nos últimos oito jogos que ele disputou. E foi um gol "acidental", numa falha gritante do jovem Maurício, na vitória por 3 a 1 sobre o Atlético Mineiro. "Não acredito que o time tenha melhorado só por causa de mim", pondera Martinez. "Evoluímos e ficamos mais consistentes porque entendemos o modo de jogar e todos se acertaram, principalmente na parte defensiva." Martinez, que já atuou 92 vezes pelo clube desde que chegou, no início de 2007, admite estar gostando da função que tem exercido em campo. "Eu me adaptei bem, sobretudo porque não perdi minha característica, que é sair com a bola dominada. Estou gostando, e o Vanderlei tem muito mérito de ter descoberto esta posição." Outros jogadores têm crescido por tabela. "Nesse esquema, tenho mais liberdade para atacar", diz o lateral-direito Elder Granja. "Cheguei na cara do gol três vezes no último jogo, contra o Figueirense. Antes, eu ficava mais na marcação." Diego Souza é outro que evoluiu. "A defesa tem nos dado segurança para fazermos nosso trabalho na frente", diz o meia. O time ganhou folga neste fim de semana e volta a treinar só segunda-feira à tarde, na Academia de Futebol. Em seguida, o grupo viaja para Atibaia, onde será feita a preparação para o clássico com o São Paulo, domingo (dia 19), no Palestra Itália. Luxemburgo deve manter Roque Júnior na defesa, com Martinez e Gustavo. Pierre volta no lugar do volante Jumar, suspenso.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.