PUBLICIDADE

Publicidade

Titularidade ameaçada? Richarlison é flagrado chorando no banco da seleção após ser substituído

Camisa 9 da seleção faz jogo ruim, perde chance clara e fica em lágrimas depois ser substituído por Fernando Diniz; jogador vive má fase na Inglaterra

PUBLICIDADE

Foto do author Redação
Por Redação

Nem tudo foi festa na goleada por 5 a 1 da seleção brasileira sobre a Bolívia, nesta sexta-feira, no Mangueirão, pelas Eliminatórias da Copa. O atacante Richarlison foi flagrado chorando no banco de reservas após ser substituído por Fernando Diniz aos 24 do segundo tempo. O jogador do Tottenham Hotspur, da Inglaterra, vive má fase em seu clube e teve desempenho pouco inspirado no primeiro jogo oficial do Brasil após a eliminação no Mundial do Catar.

Richarlison foi o único jogador do setor de ataque a não balançar as redes contra a Bolívia. Rodrygo e Neymar, duas vezes cada, e Raphinha marcaram para a seleção brasileira. O camisa 9 teve a sua melhor chance ao cinco minutos da etapa final, quando recebeu ótimo passe de Raphinha na frente do goleiro, driblou o marcador, mas chuto por cima da meta, desperdiçando chance clara. A transmissão da partida, realizada pela Globo, flagrou o jogador em lágrimas depois de mais um jogo ruim.

Richarlison foi flagrado chorando após ser substituído no jogo do Brasil contra a Bolívia. Foto: Reprodução/TV Globo

PUBLICIDADE

Ao ser questionado sobre a atuação de Richarlison, Diniz fez questão de levantar o moral do atacante na entrevista coletiva após o jogo e desconversou sobre a possibilidade de tirá-lo da equipe. “A gente vai fazer de tudo para que ele possa manter tranquilidade. Ele é um jogador vitorioso, e a bola vai entrar a qualquer momento”, disse. “A gente vai fazer sempre o melhor para a Seleção. Eu acredito muito nele, é um grande jogador. A bola dele não entrou. Não é que ele jogou mal, pelo menos não na minha opinião. Uma hora a bola dele vai entrar.”

Richarlison marcou pela última vez com a camisa da seleção brasileira na vitória por 4 a 1 sobre a Coreia do Sul, pelas oitavas de final da Copa do Catar. O jogador sofreu uma lesão na panturrilha esquerda antes do Mundial e temeu ficar fora da Copa, mas consegui se recuperar a tempo. Na eliminação para a Croácia, nas quartas de final, o atacante sofreu uma lesão no tendão muscular da coxa, o que atrapalhou a sua sequência no Tottenham.

Após a Copa do Mundo, a reta final da temporada de Richarlison foi de apenas um gol e uma assistência, sendo dez jogos como titular e 12 saindo do banco. Já na atual temporada, iniciada em agosto, Richarlison voltou a alternar entre a reserva e a titularidade mesmo com a saída do centroavante Harry Kane para o Bayern de Munique. O brasileiro jogou os 90 minutos em apenas uma partida, sendo substituído em outras três oportunidades e saindo do banco em outra, marcando apenas um gol em cinco jogos.

A falta de um centroavante de ofício entre os convocados por Fernando Diniz indicam a permanência de Richarlison entre os titulares da seleção. Contra a Bolívia, o jogador foi substituído por Matheus Cunha, que está acostumado a jogar no Wolverhammpton (ING) saindo mais da área. Gabriel Jesus, chamado para a vaga de Antony, realizou a função durante o comando de Tite e corre por fora por uma vaga de titular.

O Brasil volta a campo na terça-feira, quando enfrenta o Peru, às 23h (horário de Brasília, em Lima, pela segunda rodada das Eliminatórias da Copa de 2026.

Publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.