PUBLICIDADE

Rayssa Leal faz disputa acirrada com japonesa e é vice-campeã do Mundial Skate Street

Brasileira ‘bate na trave’ e chega a quarto pódio em Mundiais organizados pela World Skate; Yumeka Oda fica com ouro em Tóquio, Japão

Foto do author Redação
Por Redação
Atualização:

Rayssa Leal conquistou a medalha de prata no Mundial de Skate Street e fechou o ano com mais uma grande atuação. A brasileira, que chegou a sentir o gostinho da vitória na madrugada deste domingo, no Ariake Coliseum, em Tóquio, no Japão, somou 261,90 pontos, contra Yumeka Oda, que ficou em primeiro lugar com 265,75.

PUBLICIDADE

A medalha de prata é o quarto pódio de Rayssa em Mundiais da World Skate. A brasileira foi bronze em Roma (2021), prata em São Paulo (2019) e ouro na edição passada, em Sharjah, nos Emirados Árabes.

Além da prata de Rayssa e o ouro de Oda, o pódio foi completado pela japonesa Momiji Nishiya, com 243,76. Apesar de liderar todas as fases anteriores, a australiana Chloe Covell terminou em quarto lugar, com 245,11. A maranhense era a única brasileira na decisão, já que Pâmela Rosa acabou eliminada na semifinal.

Rayssa Leal conquista prata no Mundial de Skate Street, em Tóquio.  Foto: Kimimasa Mayama/EFE/EPA

Rayssa e Oda disputaram o primeiro lugar da competição do início ao fim da disputa. A brasileira começou tirando 84,15 na sua volta, mas acabou sendo superada por pouco pela japonesa, que fez uma apresentação de 84,22.

Nas manobras, Rayssa chegou a liderar com duas notas altas: 86.84 e 90.91. Mais uma vez Oda acertou um feeble flip que a colocou na liderança ao tirar 94,89. A skatista brasileira ainda buscou reverter a situação na última tentativa, mas não conseguiu completar a manobra, terminando assim em segundo lugar.

Com isso, Rayssa fecha a temporada em alta. Antes da prata em Tóquio, ela foi campeã do Super Crown, organizado pela Street League Skateboarding (SLS). Há ainda alguns eventos no ano que vem antes da Olimpíada de Paris. Tanto Rayssa quanto Oda são favoritas ao ouro da modalidade.

MASCULINO

Sem representante brasileiro na final, o pódio teve predomínio do Japão. Shirai Sora venceu com 276,81, seguido por Netsuke Kairi, com 273,60. Horigome Yuro terminou com o bronze, com 273,28. Melhor na fase semifinal, o americano Nyjah Huston foi apenas o sétimo, com 251,38.

Publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.